Mostrando postagens com marcador Guerra Urbana. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Guerra Urbana. Mostrar todas as postagens

domingo, 7 de fevereiro de 2021

GALERIA: Combate em localidade urbana no campo de Garrigues

Por Filipe do A. Monteiro, Warfare Blog, 7 de fevereiro de 2021.

Introdução de  combate em zona urbana dos novos graduados do 54e RA (54e Régiment d'Artillerie/ 54º Regimento de Artilharia) sob o comando do Ten. Louis no campo de Garrigues em 5 de fevereiro de 2021.

O 54e RA é um regimento do Exército francês, estacionado em Hyères, especializado em artilharia anti-aérea com mísseis terra-ar Mistral. Ele é o herdeiro do 54e RAC (Régiment d’Artillerie de CampagneRegimento de Artilharia de Campanha) veterano da Primeira Guerra Mundial, destacando-se em Verdun em 1916 e 1917, em Malmaison em 1917 e no Flandres em 1918. Sua bandeira carrega em letras de ouro a inscrição:

VERDUN 1916

LA MALMAISON 1917

FLANDRES 1918 

Em 19 de maio de 1925, o regimento desembarcou em Casablanca para participar das operações de pacificação no Marrocos durante a Guerra do Rif, nas regiões de Oued Leben, Hassi Medlon e Hassi Guenza até 11 de novembro do mesmo ano - retornando a Lyon em 17 de novembro de 1925 - sob a designação de 1924 de 54e RAD (Régiment d’Artillerie Divisionnaire/ Regimento de Artilharia Divisionária). O regimento foi reorganizado em 1926, para um grupo de canhões de 65mm (grupo de artilharia de montanha), dois grupos de 75mm e dois grupos de 155mm. Em 5 de maio de 1929, após ter sido gradualmente abastecido com soldados de origem argelina e depois marroquina, o regimento passou a se chamar 54e RANA (Régiment d’Artillerie nord-africaineRegimento de Artilharia Norte-Africano).

Em 31 de agosto de 1939, com a mobilização francesa de 1939, o regimento se multiplicou no 54º RANA e no 254º RANA (regimento de artilharia pesada, canhões de 155mm hipomóveis) e deu origem ao XI Grupo de Artilharia de Costa. Junto com o 254e RANA, fez parte da artilharia da 1er DINA (1re Division d’Infanterie nord-africaine/ 1ª Divisão de Infantaria Norte-Africana). Essa divisão seria destruída em 1940, com elementos fugindo para a Inglaterra. O regimento recriado lutaria pela França Livre na Tunísia, Itália, França e Alemanha; terminando a guerra em Friburgo na Brisgóvia.

Por suas raízes norte-africanas, o regimento usa a Cruz Xarifiana marroquina e a Meia-Lua muçulmana.

Artilheiro com a meia-lua no braço. 

Desde 1º de janeiro de 2011, o 54e RA faz parte da Base de Defesa de Toulon e é apoiado pelo Grupo de Apoio à Base de Defesa de Toulon, criado na mesma data. O regimento faz parte da 3ª divisão, dentro da Force Scorpion (Força Escorpião, com 50 mil homens) desde 1º de julho de 2016.

O campo de Garrigues abriga um dos muitos CFIM (Centres de formation initiale des militaires du rang/ Centro de Treinamento de militares graduados). Os CFIM são responsáveis ​​por garantir o treinamento geral inicial (formation générale initiale, FGI) com duração de 12 semanas para todos os EVI do Exército (engagés volontaires initiaux/ engajados voluntários iniciais). Essas 12 semanas são precedidas por uma semana de incorporação ao treinamento profissional e são seguidas por um período de "aclimatação" de volta ao regimento, incluindo uma semana de licença.

O CFIM não é um treinamento autônomo. Na medida do possível, é apoiado por um regimento da brigada beneficiária.

Existem dois tipos de enquadramento (supervisão) no CFIM:

  • Enquadramento permanente (de cerca de vinte a 60 pessoas), atribuída ao CFIM, responsável pelo comando da organização, operação e treino especializado (ex: instrutor desportivo).
  • Enquadramento rotativo: supervisão das seções de treinamento sob as ordens do comandante da unidade do enquadramento permanente.

Além do CFIM SMITer no campo de Garrigues:

  • CFIM 2 BB em Valdahon;
  • CFIM 7 BB em Verdun;
  • CFIM 7 BB em Carpiagne;
  • CFIM 3 BM à Angoulême;
  • CFIM 11 BP em Caylus;
  • CFIM 27 BIM em Gap;
  • CFIM 9 BLBMA em Coëtquidan;
  • CFIM 6 BLB em Fréjus;
  • CFIM BR em Bitche;
  • CFIM BLOG;
  • CFIM no 1er BM/BTAC.
  • CFIM ocasional: CFIM em St Maixent.

Bibliografia recomendada:

Concrete Hell:
Urban warfare from Stalingrad to Iraq.
Louis A. DiMarco.

Leitura recomendada:


terça-feira, 3 de novembro de 2020

Taiwan disfarça veículos blindados como guindastes e sucatas durante manobras de guerra urbana


Por Thomas Newdick, The Drive, 29 de outubro de 2020.

Tradução Filipe do A. Monteiro, 3 de novembro de 2020.

Os jogos de guerra da Semana de Preparação para o Combate viram algumas abordagens não-convencionais para esconder veículos de combate em terreno urbano denso.

Os esforços do Exército da República da China em Taiwan para garantir que seus veículos blindados sobrevivam a uma possível invasão do continente chinês ficaram bem claros durante a última série de jogos de guerra do país. A recente Combat Readiness Week (Semana de Preparação para o Combate) trouxe imagens de tanques e outros veículos blindados escondidos em ambientes urbanos usando alguns métodos de camuflagem engenhosos, incluindo escondê-los sob o lixo e fazê-los parecer equipamentos de construção civil.


Embora seja comum que veículos militares que operam em terreno rural sejam generosamente adornados com folhagens, a mesma técnica também pode ter lugar na paisagem urbana. Uma foto divulgada pela Agência de Notícias Militares da República da China (ROC) mostrou muitas variantes de veículos blindados de transporte de pessoal M113 abrigadas sob uma ponte rodoviária e cobertas com os tipos de samambaias e hera que podem crescer pelas rachaduras nesses ambientes urbanos.

As medidas mais extremas para se misturar ao cenário da cidade incluíram o que parecia ser um veículo de combate de infantaria Clouded Leopard 8x8 adaptado para se parecer com um guindaste civil amarelo. O efeito foi obtido usando uma combinação de placas de madeira pintadas de amarelo e tecido.

Talvez ainda mais extraordinárias sejam as fotos que mostram pelo menos um tanque de batalha principal - presumivelmente um exemplar do M60A3 Patton americano da era da Guerra Fria, ou um CM-11 e CM-12 Brave Tiger atualizado localmente - escondido no que parece um ferro-velho. O tanque é envolto em uma cobertura de tecido de efeito metálico que combina muito bem com a sucata ao redor, alguns dos quais também adornam o tanque, inclusive obscurecendo seu cano.

Um transportador de pessoal blindado M113 escondido sob uma ponte.

Um comunicado do porta-voz do Ministério da Defesa Nacional (Ministry of National DefenseMND) de Taiwan, Shih Shun-wen, citado pela Janes, explicou que militares de uma brigada blindada não-identificada do Exército ROC foi encarregada de prender folhagem adequada à rede que cobria seus veículos, bem como usar recursos urbanos para fornecer cobertura visual.

Outras unidades do Exército ROC com participação confirmada nas manobras foram o 33º Grupo de Guerra Química, que forneceu veículos de detecção e desinfecção químicos, biológicos e nucleares (QBN), e a 269ª Brigada de Infantaria Mecanizada. Esta última se mudou à noite de uma base na montanha para uma área civil em Nova Taipei, de acordo com o Taiwan News.

As unidades da Aviação do Exército incluíram a 601ª Brigada de Aviação de Forças Especiais, cujos helicópteros de transporte AH-64E Apache e recentemente entregues UH-60M Black Hawk deveriam pousar próximo a uma grande estação ferroviária na cidade de Hsinchu, antes de realizar um reabastecimento "quente" e exercício de rearmamento.

O MND confirmou que um dos objetivos do exercício era que o Exército ROC aumentasse suas "capacidades de ocultação, camuflagem, engano e capacidade de manobra, de acordo com o princípio de 'lutar onde quer que a batalha esteja'".

Embora esse tipo de camuflagem enganosa seja bastante incomum hoje em dia, tem uma história distinta, que remonta à Segunda Guerra Mundial, quando os veículos blindados eram “modificados” para se parecerem com seus equivalentes civis, normalmente caminhões comerciais. Esse tipo de tática foi usada talvez de maneira mais famosa pelo Oitavo Exército britânico no Deserto Ocidental.

Um tanque Crusader do exército britânico com sua camuflagem de "caminhão" erguida em outubro de 1942.

É questionável, claro, o quão eficazes tais medidas podem realmente ser para esconder essas forças. A óptica infravermelha pode não ser enganada, por exemplo, pelo menos com algumas dessas táticas de camuflagem, mas independentemente, o engano pode ser suficiente para atrasar a identificação positiva, possivelmente o suficiente para se obter um disparo ou recuar.

Mesmo o que podem parecer medidas bastante superficiais podem, de fato, ter uma recompensa significativa no calor do combate, como evidenciado pela adoção pelo Exército dos EUA de um novo tipo de tinta para ajudar a reduzir a assinatura infravermelha de seus tanques M1 Abrams e outros blindados veículos, tornando-os mais difíceis de detectar.

A série de manobras de cinco dias, que teve início em 26 de outubro de 2020, é conhecida como Semana de Preparação para o Combate e envolveu também a Força Aérea da República da China (ROCAF) e a Marinha.

Os vários jogos de guerra de Taiwan não apenas garantem o treinamento para todos os ramos das forças armadas, mas fornecem um sinal de prontidão geral para a República Popular da China, que considera Taiwan uma província separatista que deve eventualmente ser reunificada. Como tal, o tipo de cenário praticado normalmente se concentra em repelir uma invasão do Exército de Libertação do Povo (PLA). Ao mesmo tempo, está claro que o PLA também esperaria enfrentar forças taiwanesas em ambientes urbanos e há muitas evidências de que suas unidades estão treinando de acordo.

Tropas do PLA lançam um assalto a uma réplica do Edifício Presidencial de Taiwan na base de treinamento de Zhurihe, na Mongólia Interior. (SCMP Pictures)

Se Taiwan um dia tivesse que enfrentar o poder do PLA em um cenário de invasão, cada tanque e veículo blindado teria que contar. Embora os esforços extremos para ocultar esses veículos durante os exercícios possam parecer incomuns, esse tipo de camuflagem pode fazer a diferença no tipo de cenário de guerra urbana que as forças armadas de Taiwan estão preparadas para lutar.

Vídeo recomendado:

Bibliografia recomendada:


Leitura recomendada:




FOTO: O troll debaixo da ponte, 2 de novembro de 2020.

ENTREVISTA: 8 coisas a saber sobre a maior base de treinamento do exército da China9 de junho de 2020.