sexta-feira, 17 de maio de 2019

B-2A SPIRIT LANÇA BOMBA GBU-57A/B MOP - VÍDEO



Gostou desta publicação? Receba todas as novas matérias do WARFARE Blog nos seguindo nas redes sociais: INSTAGRAMFACEBOOKMeWe e TWITER. Não deixe de compartilhar também!
Prestigiem nossos parceiros também:
NAVIOS DE GUERRA WARFARE Blog: https://www.facebook.com/groups/2186884164961505

Conheça a loja virtual Point 36! Nela você pode encontrar tudo o que você precisar! Pode ser um perfume, pode ser um notebook, pode ser uma bicicleta! Não feche negócio antes de consultar nossos preços! Clique no banner abaixo para conferir as ofertas!

domingo, 12 de maio de 2019

GALIL ACE. Um dos melhores fuzis baseados no projeto Kalashnikov


FICHA TÉCNICA
Tipo: Fuzil de assalto.
Miras: Diversos modelos, entre aço com alça  com um dioptro dobrável tipo "peep Sight",  miras reflex e ópticas com amplificação e visão noturna, todas instaladas sobre o trilho picatinny integral acima de toda extensão do fuzil.
Peso: Variável conforme comprimento do cano e versão: ACE 21: 2,8 kg; ACE 22: 3,3 kg; ACE 23: 3,44; ACE 31: 2,95 kg; ACE 32: 3,4 kg; ACE 52: 3,56 kg; ACE 53: 3,69 kg; ACE N-21: 3,01 kg; ACE-N 22: 3,45 kg.
Sistema de operação: A gás com trancamento por ferrolho rotativo.
Calibre: 5,56x45 mm, 7,62x39 mm e 7,62x51 mm.
Capacidade: ACE N-21/ N22/ 31/ 32: 30 munições; ACE 21/ 22/ 23: 35 Munições; ACE 52/ 53: 25 Munições
Comprimento Total (coronha estendida): ACE 21/ N 21/ 31: 73 cm. ACE 22/ N 22: 84,7 cm; ACE 23: 97,5 cm; ACE 32: 89,5 cm; ACE 52: 93,5; ACE 53: 104,3 cm.
Comprimento do Cano: ACE 21/ N 21/ 31: 8,46 pol; ACE 22/ N 22: 13 pol; ACE 23: 18,11 pol: ACE 32: 14,96 pol; ACE 52: 15,75 pol; ACE 53: 15,75 pol.
Velocidade na Boca do Cano: ACE 21/ N 21: 915 m/seg; ACE 22/ N 22: 940 m/seg; ACE 23: 960 m/seg; ACE 31: 600 m/seg; ACE 32: 715 m/seg; ACE 52: 800 m/seg; ACE 53: 840 m/seg
Cadência de tiro: 680 tiros/ min (aproximadamente para todas as versões).

sábado, 4 de maio de 2019

Mais um PM morto em São Paulo.

Editorial
Por Ironhead
Boa noite a todos os leitores do WARFARE Blog
Hoje, dia 04 de maio de 2019, sábado, um cabo da policia militar, integrante da ROTA (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), famosa tropa de elite da Polícia Militar de São Paulo, foi assassinado em frente a sua residência, logo cedo, quando saia para o trabalho. A ação foi gravada e fica claro que a intenção era, meramente, assassinar o Cabo Fernando Flávio Flores.
É importante observar que as armas empregadas, o modus operandi, o elevado nível de ousadia (matar um policial da ROTA não costuma ficar impune e quando digo "impune" não é uma referencia aos juízes. A justiça é feita da forma mais "proporcional", digamos), faz o Primeiro Comando da Capital, conhecido pela sigla PCC ou como os idiotas da Globo costumam chamar (a quadrilha que age dentro dos presídios), evitando dizer "PCC" tenha sido o autor do crime. Porém, que me desculpem o pessoal mais "romântico" que acha que policia é boazinha e que não tem bandido dentro da corporação, mas eu, particularmente NUNCA descarto que ações desse padrão sejam queima de arquivo ou ajuste de contas pela banda podre da polícia. 
O caso foi o segundo assassinato contra um policial da ROTA nos últimos 10 dias. No dia 25 de abril ultimo, o cabo Daniel Gonçalves Correa levou 5 tiros no litoral paulista. 
Torço muito para que os bons profissionais da Polícia Civil e que o comando da Polícia Militar do estado de São Paulo esclareçam este caso e que a justiça seja feita exemplarmente. 
E por ultimo, presto minhas condolências a família e que Deus conforte a esposa e os seus três filhos que ficaram órfãos de pai por conta da fraqueza de um Estado amedrontado e que não sabe se impor como autoridade para milhares de criminosos que atuam em todo o país, inclusive, dentro das próprias polícias.
Acima: Veículo Fiat Doblò Adventure do Cabo Fernando Flávio Flores "peneirado" de tiros. Os executores queriam certeza que o policial não sobrevivesse a este ataque.


Gostou desta publicação? Receba todas as novas matérias do WARFARE Blog nos seguindo nas redes sociais: INSTAGRAMFACEBOOKMeWe e TWITER. Não deixe de compartilhar também!
Prestigiem nossos parceiros também:
NAVIOS DE GUERRA WARFARE Blog: https://www.facebook.com/groups/2186884164961505

Conheça a loja virtual Point 36! Nela você pode encontrar tudo o que você precisar! Pode ser um perfume, pode ser um notebook, pode ser uma bicicleta! Não feche negócio antes de consultar nossos preços! Clique no banner abaixo para conferir as ofertas!

quarta-feira, 1 de maio de 2019

O PESO DA ESPADA


Por Coronel Swami de Holanda Fontes com apoio do coautor Coronel Helder Lima de Queiroz.
Uma antiga parábola conhecida como “A espada de Dâmocles” pode ser usada para fazermos uma reflexão sobre a responsabilidade dos militares.
Antes de Cristo, na região que hoje é a Itália, havia um cortesão chamado Dâmocles, que atuava como conselheiro na corte de Dionísio – monarca de Siracusa. Dâmocles não poupava palavras para enaltecer as qualidades, o poder, a autoridade e a sorte de Dionísio.
Um dia, cansado de ouvir as bajulações do seu conselheiro, Dionísio propôs que Dâmocles ocupasse seu lugar por 24 horas, o que foi prontamente aceito. Ao ocupar o trono e assumir o que considerava benefícios do poder, Dâmocles percebeu que havia uma espada sobre sua cabeça sustentada por uma ponta de fio de rabo de cavalo. A outra ponta do fio estava amarrada ao seu corpo. Qualquer movimento inesperado ou de fuga do cortesão romperia o fio, provocando sua morte. Nesse instante, Dâmocles compreendeu que o monarca vivia sob “o fio da espada” todos os dias. O poder não estava associado nem a confortos nem a regalias, mas a grandes responsabilidades. Dionísio convivia constantemente com a morte, pois sempre havia a possibilidade de ser sabotado, de cometer um erro ou de alguém motivar uma guerra. Quando o cortesão compreendeu os deveres, as obrigações e os riscos que seu rei enfrentava diariamente, passou a respeitá-lo.
Acima: Uma representação artística da "espada de Dâmocles" sobre o trono.
As últimas pesquisas de opinião indicam que o Exército Brasileiro conta com mais de 80 % de confiança da população. As pessoas reconhecem sua contribuição para a manutenção da integridade territorial e sua importância para o desenvolvimento, a soberania nacional e a defesa da Pátria. Embora seja uma das instituições de maior credibilidade perante a sociedade, ainda há considerável número de pessoas que desconhece as missões do Exército Brasileiro e suas características, especificidades e peculiaridades, típicas da profissão militar; dessa forma, julgam que os militares possuem facilidades, confortos e, até mesmo, regalias.
Assim sendo, sintamos um pouco o peso da espada!
Soldados participam de inúmeras atividades em que são obrigados a operar isoladamente para atenderem demandas dos compromissos internacionais, como as missões de paz e de segurança, no Saara Ocidental, no Sudão, no Chipre, na República Centro Africana, no Líbano, na Guiné-Bissau e na República Democrática do Congo. Além do trabalho isolado, a maioria dessas missões impossibilitam o acompanhamento dos familiares.
Acima: Militar do Exército Brasileiro recebendo medalha pela sua atuação na Missão das Nações Unidas no Sudão do Sul (UNMISS) das mãos do Major General Bayarsaikhan Dashdondog.
No caso do emprego de tropa, destaca-se a recente Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti. Durante 13 anos, tropas nacionais foram empregadas para restabelecer a segurança e a normalidade institucional daquele país. A presença brasileira na ilha foi vital em dois momentos: em 2010, no terremoto que causou a morte de mais de 200 mil pessoas, incluindo 18 militares do Exército Brasileiro e, em 4 de outubro de 2016, durante o furacão Matthew, que causou inundações e deixou milhares desabrigados. Nessas duas situações, a ajuda dos nossos peacekeepers contribuiu para amenizar o sofrimento dos irmãos haitianos.
No âmbito nacional, há dezenas de operações em andamento, diariamente, por toda a faixa de fronteira, a fim de contribuir para a manutenção da soberania do Estado brasileiro nas áreas lindeiras e de cooperar com as ações dos diversos órgãos de segurança pública no combate aos ilícitos transfronteiriços e ambientais.
Na Copa do Mundo e nos Jogos Olímpicos, o emprego das Forças Armadas foi fundamental para que esses dois grandes eventos tivessem êxito no aspecto segurança, repercutindo internacionalmente na imagem positiva do País. Além disso, cabe destacar a quantidade de medalhas olímpicas conquistadas por nossos atletas militares.
Acima: Um militar do Exército Brasileiro operando um sistema de lançamento de míssil antiaéreo RBS-70.
Não se deve esquecer a Operação Carro-Pipa que, há mais de uma década, distribui água no interior do Nordeste. O Exército, por intermédio de dezenas de organizações militares, garante que seja fornecida água tratada para mais de 2.000.000 de pessoas, em centenas de municípios.
Inúmeras operações de Garantia da Lei e da Ordem têm sido estabelecidas regularmente em todo o território, podendo ser destacada a de apoio à Intervenção Federal no Rio de Janeiro.
Nas ações humanitárias, o trabalho incessante de militares na Operação Acolhida, conduzida pela Força-Tarefa Logística Humanitária, tem contribuído para melhorar as condições de vida de imigrantes, em situação de vulnerabilidade, que chegam a Roraima.
Na área do desenvolvimento e da integração nacional, destaca-se o trabalho da engenharia militar no projeto de transposição do Rio São Francisco, na recuperação de estradas, na pavimentação de rodovias, na revitalização de infraestruturas, na construção de aeroportos, na perfuração de poços artesianos, dentre outros.
Não se pode deixar de mencionar as constantes ações cívico-sociais em apoio às campanhas de vacinação e atendimento médico-odontológico de populações carentes, assim como as ações de garantia à votação e apuração em eleições, de combate a vetores de doenças e de apoio à Defesa Civil em calamidades públicas – distribuição de água e alimentos e o resgate de pessoas em enchentes e desabamentos.
Acima: O Exército Brasileiro leva água a milhares de pessoas no interior do Nordeste brasileiro através da operação carro-pipa.
Muitas das atividades descritas são vistas apenas regionalmente, nas áreas geográficas onde ocorrem, sendo desconhecidas em âmbito nacional. Grande parte desses trabalhos é anônimo e incansável, pois os empregos operacionais das tropas, em muitas situações, acontecem em lugares inóspitos, longe dos grandes centros.
No entanto, há algo em comum em quase todas essas ações: o sacrifício e a dedicação exclusiva de pessoas que entregam suas vidas por um ideal e que dão o seu melhor pelo País. Operando longe de casa, trabalham sem se preocupar com as horas, os feriados e se é dia ou noite. Como têm vivência nacional, mudam-se frequentemente a cada dois ou três anos, morando nas mais variadas regiões do nosso imenso Brasil. Essa imposição da Carreira das Armas limita a fixação da família, cônjuge e filhos, que sofre limitações quanto à manutenção de laços profissionais e, principalmente, aos estudos. Apesar de não ter regalias, conforto e os mesmos direitos trabalhistas do restante da população, o militar é altamente cobrado, pois qualquer falha pode ser prejudicial à defesa, segurança e tranquilidade nacional.
Agora que conhece um pouco mais sobre o campo de atuação, as especificidades e as peculiaridades da profissão militar, você se submeteria ao peso dessa “espada”?

Gostou desta publicação? Receba todas as novas matérias do WARFARE Blog nos seguindo nas redes sociais: INSTAGRAMFACEBOOKMeWe e TWITER. Não deixe de compartilhar também!
Prestigiem nossos parceiros também:
NAVIOS DE GUERRA WARFARE Blog: https://www.facebook.com/groups/2186884164961505

Conheça a loja virtual Point 36! Nela você pode encontrar tudo o que você precisar! Pode ser um perfume, pode ser um notebook, pode ser uma bicicleta! Não feche negócio antes de consultar nossos preços! Clique no banner abaixo para conferir as ofertas!

sexta-feira, 26 de abril de 2019

CLASSE TAMANDARÉ. O futuro navio de escolta da marinha do Brasil.

 

FICHA TÉCNICA
Tipo: corveta.
Tripulação: 120 tripulantes*.
Data do comissionamento: Entre 2024 a 2028*.
Deslocamento: 3455 toneladas.
Comprimento: 107,2 mts.
Boca: 15,95 mts.
Propulsão: 4 Motores MAN 12V 28/33 DSTC produzem 21840 shp.
Velocidade máxima: 28 nós (52 km/h).
Alcance: 5000 mn (9260 Km) em velocidade econômica (14 nós/ 26 km/h)
Sensores: 1 radar tridimensional BAE  Type 997 Artisan 3D com 200 km de alcance; Radar de navegação Raytheon de banda X, Radar de controle de fogo Thales STIR 1.2 EO MK2; Um sistema eletro-óptico SAFRAN Pasei XLR e um sonar de casco ATLAS Elektronik ASO 713
Armamento: 2 lançadores duplos MBDA ITL-70A para mísseis MM-40 Exocet Block I e Block III; Um lançador vertical para 16 mísseis Sea Ceptor; Um canhão Leonardo Super Rapid de 76 mm; 1 canhão CIWS Bofors 40 mm MK-4, dois lançadores triplos de torpedos MK-46 e duas metralhadoras pesadas M2HB em calibre 12,7 mm (.50)
*Dado estimado

segunda-feira, 22 de abril de 2019

EU SOU O EXÉRCITO


Luís Alves de Lima e Silva, Duque de Caxias - Patrono do Exército

BRAÇO FORTE, MÃO AMIGA! É assim, fundamentado nessas duas simples expressões, que eu, o Exército Brasileiro, ao longo de 371 anos de existência, tenho buscado pautar minhas ações para defender a nossa Nação e garantir os poderes legalmente constituídos em nossa Carta Magna e o império da lei e da ordem.

BRAÇO FORTE, quando derrotei, no dia 19 de abril de 1648, o invasor estrangeiro nas férteis terras nordestinas, momento épico em que negros, brancos, índios e mestiços, irmanados e ombreados, sob o comando dos “Heróis da Pátria”, imortalizaram Guararapes como o berço da nossa nacionalidade.

MÃO AMIGA, quando ao final da Revolução Farroupilha, o Duque de Caxias, meu Patrono e Herói Nacional, garantiu a liberdade a todos os cativos farrapos, incorporando nas Unidades do Exército Imperial todos os negros libertos, com especial destaque para os ex-integrantes da brava “Legião de Lanceiros Negros”. Caxias, homem à frente de seu tempo, era conciliador e cultuava os princípios de igualdade e fraternidade.

BRAÇO FORTE, quando reagi, intransigentemente, às tentativas de fragmentação do território e da unidade nacional, durante as revoltas internas e a guerra de independência, bem como às investidas de ideologias totalitárias.

MÃO AMIGA, quando emprestei aos feridos aliados nas duas grandes Guerras Mundiais a competência e a sensibilidade da mulher brasileira, representadas pelas enfermeiras do Exército que serviram nessas contendas.

BRAÇO FORTE, além-fronteiras, quando venci as Campanhas do Prata, combati em solo italiano, durante a 2ª Guerra Mundial, para restabelecer a paz e a liberdade, e participei dos esforços para a manutenção da paz em diversos países, em especial para a estabilização do Haiti, por mais de uma década.

MÃO AMIGA, ao coordenar e apoiar, dentre outras operações de caráter subsidiário, a Operação Pipa, distribuindo, emergencialmente, há quase 20 anos, água potável a mais de 4 milhões de cidadãos brasileiros, moradores de quase 900 municípios afetados pela seca.

BRAÇO FORTE, ao manter homens e mulheres em permanente estado de prontidão, aptos e capacitados a defender a Pátria, até mesmo com o sacrifício da própria vida.

MÃO AMIGA, ao planejar e executar a operação de grande complexidade conhecida como Força-Tarefa Logística Humanitária em Roraima. Com o apoio da Marinha do Brasil e da Força Aérea Brasileira, minhas Forças coirmãs, e de outros órgãos, agências e organizações não governamentais, a Operação Acolhida leva estabilidade à região de fronteira e, acima de tudo, atendimento digno, humano e profissional aos imigrantes venezuelanos.

A cada celebração em que comemoramos mais um ano de existência é imprescindível olhar para trás, em reflexão ao que já foi realizado, na busca das lições aprendidas e da melhoria contínua.

É nesse sentido que eu, o BRAÇO FORTE e a MÃO AMIGA de ontem, de hoje e de sempre, tenho procurado estar alinhado aos anseios da sociedade, aos valores da nossa nacionalidade e à grandiosidade do futuro da nossa Nação.

Àqueles que não percebem a relevância dessa trajetória, e que hoje tentam macular minha imagem e minha coesão, responderei com mais trabalho, dedicação, transparência, gestão eficiente dos recursos públicos e com uma conduta exemplar, sempre amparada nos parâmetros legais.

Brasileiros! Estejam certos de que vocês, homens e mulheres que me confiam os mais altos índices de credibilidade institucional, são a força que guia o meu braço e a brandura que orienta a minha mão.

BRASIL ACIMA DE TUDO!

Gostou desta publicação? Receba todas as novas matérias do WARFARE Blog nos seguindo nas redes sociais: INSTAGRAMFACEBOOKMeWe e TWITER. Não deixe de compartilhar também!
Prestigiem nossos parceiros também:
NAVIOS DE GUERRA WARFARE Blog: https://www.facebook.com/groups/2186884164961505

Conheça a loja virtual Point 36! Nela você pode encontrar tudo o que você precisar! Pode ser um perfume, pode ser um notebook, pode ser uma bicicleta! Não feche negócio antes de consultar nossos preços! Clique no banner abaixo para conferir as ofertas!

domingo, 14 de abril de 2019

LOCKHEED MARTIN THAAD. A resposta às ameaças de mísseis balísticos de curto é médio alcance.


FICHA TÉCNICA
Motor: Propelente sólido de estágio único Thiokol TX-486-1
Velocidade: 10800 km/h
Alcance: 200 km.
Altitude: 150 km
Comprimento: 6,17 m.
Peso: 900 kg.
Ogiva: (não tem)
Lançadores: Caminhão M-1074.
Guiagem: IR ativo a base de Antimoneto de Índio com atualização por datalink.

segunda-feira, 25 de março de 2019

BOEING F-15E STRIKE EAGLE. O caça bombardeiro pesado da USAF!

FICHA TÉCNICA
Velocidade de cruzeiro: 1000 km/h (Mach 0,81)
Velocidade máxima: 2650 km/h (Mach 2,54).
Razão de subida: 15000 m/min.
Potência: 0,91 (com motor - 220); 1,14 (com motor -229).
Carga de asa: 83,26 lb/ft².
Fator de carga: 9 Gs
Taxa de giro instantâneo: 21º/s
Razão de rolamento: 240º/s
Teto de Serviço: 18200 m
Alcance: 3840 km (com tanques conformais e 3 tanques externos)
Alcance do radar: AN/APG-70 ou o modelo AESA AN/APG 82(V)1 com 185 km contra alvos aéreos de 5m2 de RCS,
Empuxo: 2 motores Pratt & Whitney F100-PW-220 ou 229 sendo que o 220 fornece 10570 kgf de empuxo máximo (pós combustor ligado) e o 229 fornecendo 13226 kgf de empuxo nas mesmas condições.
DIMENSÕES
Comprimento: 19,44 m
Envergadura: 13.00 m
Altura: 5,6 m
Peso vazio: 17010 kg (vazio)
Combustível Interno: 13448,2 lb
ARMAMENTO
Ar Ar: Míssil AIM-120C Amraam, AIM-9X Sidewinder
Ar terra: Bombas JDAM, Bombas Paveway (todas), Bombas SDB (GBU-39), Bomba GBU-53 SDB II, Bombas de fragmentação CBU-87/ 103, CBU-89/ 104, CBU-97/ 104, CBU-97/ 105, CBU- 107 PAW;  Mísseis anti navio AGM-84 Harpoon, mísseis AGM-65 Maverick, mísseis AGM-130, mísseis  AGM-84H/K SLAM-ER, mísseis AGM-158 JASSM
Interno: 1 canhão General Electric M-61A1 de 6 canos de 20x102 mm e 500 munições.

sexta-feira, 15 de março de 2019

CENTRO DE INSTRUÇÃO DE BLINDADOS - EXÉRCITO BRASILEIRO

Por Exército Brasileiro

Gostou desta publicação? Receba todas as novas matérias do WARFARE Blog nos seguindo nas redes sociais: INSTAGRAMFACEBOOKMeWe e TWITER. Não deixe de compartilhar também!
Prestigiem nossos parceiros também:
NAVIOS DE GUERRA WARFARE Blog: https://www.facebook.com/groups/2186884164961505

Conheça a loja virtual Point 36! Nela você pode encontrar tudo o que você precisar! Pode ser um perfume, pode ser um notebook, pode ser uma bicicleta! Não feche negócio antes de consultar nossos preços! Clique no banner abaixo para conferir as ofertas!

quinta-feira, 7 de março de 2019

Reflexos do rápido avanço tecnológico para a segurança e defesa nacionais

Por Prof. Dr.Peterson Ferreira da Silva*
Algumas tecnologias estão transformando profundamente a vida em sociedade. A Inteligência Artificial (IA), por exemplo, está por trás de diversos projetos envolvendo carros auto-navegáveis, comandos efetuados por voz, reconhecimentos faciais e filtros de conteúdo em redes sociais. No campo dos sistemas aéreos não tripulados (Unmanned Aerial Systems – UAS), vislumbram-se múltiplas aplicações comerciais, como meios de entregas e até de transporte público, na forma de taxis aéreos.
Não por acaso, estima-se que a indústria de drones comerciais nos Estados Unidos tenha saltado de US$40 milhões, em 2012, para aproximadamente US$1 bilhão, em 2017 – e, em 2026, esse mesmo segmento pode representar um impacto na faixa de US$31-46 bilhões no Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano. Paralelamente, a área de cibersegurança permeia vários outros campos, na medida em que equipamentos e “sistemas de sistemas” cada vez mais complexos também se tornaram presa fácil para ataques cibernéticos. Em 2023, o mercado de cibersegurança pode alcançar um montante de US$248 bilhões.


Evidentemente essas transformações afetam diretamente as mais modernas Forças Armadas. Na Estratégia Nacional de Defesa dos Estados Unidos de 2018, por exemplo, ressalta-se a importância dos desdobramentos das novas tecnologias comerciais para a sociedade e para o fenômeno da guerra, especialmente tendo em vista a perspectiva de que muitos desenvolvimentos tecnológicos virão dos setores comerciais de ponta. Já a China tem investido em IA, por exemplo, como parte de um conjunto mais amplo de esforços para o desenvolvimento de uma série de veículos autônomos (aéreos, terrestres e navais), bem como de jogos de guerra e simuladores. Entre os planos de Beijing para alcançar o objetivo de ser o líder mundial em IA está a construção de um polo de pesquisa, com o custo estimado em US$2,12 bilhões, abarcando até 400 empresas e parcerias com universidades.

Outros países também estão enveredando esforços nesses novos campos com enfoque em segurança e defesa nacionais. Os planos da Índia incluem o estabelecimento de uma Agência de Defesa Cibernética com mais de 1000 integrantes distribuídos em diferentes posições no Exército, na Marinha e na Força Aérea. A Rússia tem explorado o uso de IA em, por exemplo, mísseis de cruzeiro, drones armados, guerra eletrônica e inteligência de imagens. Apenas na área de IA, estima-se que Moscou tem investido anualmente cerca de US$ 12,5 milhões. Já a Alemanha almeja criar sua própria versão da norte-americana Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA).
O impacto dessa realidade para as mais modernas Forças Armadas é evidente, pois afeta diversos elementos de doutrina, organizacionais, de adestramento, de material, de educação, de pessoal e de infraestrutura. Diante das perspectivas de proliferação de mísseis hipersônicos, robôs armados, lasers, canhões eletromagnéticos e dos avanços da computação quântica, vários países têm buscado se adaptar constantemente a essas inovações, priorizando recursos em equipamentos e otimizando estruturas de pessoal e custeio. 
No Reino Unido, por exemplo, um dos poucos membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) que conseguem cumprir as metas de alocação de 2% do Produto Interno Bruto (PIB) em defesa e 20% desse montante em Equipamentos, observa-se uma série de dificuldades políticas na definição de prioridades e do tamanho do efetivo de suas Forças Armadas. Ademais, tanto nas reformas dos aparatos de defesa iniciadas pela Rússia, em 2008, e pela China, em 2015, por exemplo, houve profundas mudanças organizacionais com foco conjunto e redução de efetivos, além de estabelecimento de planos de equipamentos de médio e longo prazo. 
Seguir essa vasta onda de transformações é um enorme desafio para qualquer país. No Brasil, o processo de atualização, para 2020, dos documentos Política Nacional de Defesa (PND), Estratégia Nacional de Defesa (END) e Livro Branco de Defesa Nacional (LBDN) apresenta-se como uma valiosa oportunidade para enfrentar tais questões, sobretudo quando considerados os históricos tanto do orçamento de defesa brasileiro quanto dos investimentos nacionais em Ciência e Tecnologia. Nesse sentido, o que está claro é que o acelerado avanço tecnológico vai continuar – independentemente de o Brasil conseguir ou não acompanhá-lo.


* Peterson Ferreira da Silva é Doutor em Relações Internacionais (IRI-USP), professor do campus Brasília da Escola Superior de Guerra (ESG) e pesquisador do Centro de Estudos Estratégicos do Exército (CEEEx). 



Gostou desta publicação? Receba todas as novas matérias do WARFARE Blog nos seguindo nas redes sociais: INSTAGRAMFACEBOOKMeWe e TWITER. Não deixe de compartilhar também!
Prestigiem nossos parceiros também:
NAVIOS DE GUERRA WARFARE Blog: https://www.facebook.com/groups/2186884164961505

Conheça a loja virtual Point 36! Nela você pode encontrar tudo o que você precisar! Pode ser um perfume, pode ser um notebook, pode ser uma bicicleta! Não feche negócio antes de consultar nossos preços! Clique no banner abaixo para conferir as ofertas!

terça-feira, 5 de março de 2019

ATK/ HK XM-25 PUNISHER. A arma do futuro que não vingou.

FICHA TÉCNICA
Tipo: Lança granadas semi automático.
Sistema de operação: A gás com trancamento da culatra por ferrolho rotativo.
Calibre: 25 x 40 mm.
Capacidade: 6 granadas.
Peso: 5,45 kg (descarregada).
Comprimento Total: 0,76 m.
Comprimento do Cano: 15 polegadas*.
Miras: Sistema XM104 TA/FCS.
Velocidade na Boca do Cano: 210 m/seg.
Cadência de tiro: Armamento semi automático.
*:Valor estimado

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Christopher Mark Heben ex-operador SEAL da Marinha fala sobre sua vida


Por Eric Sof, 4 de dezembro de 2013.
Tradução: Filipe do A. Monteiro.

Christopher Mark Heben é um ex-SEAL da Marinha dos EUA, pai dedicado, empresário, orador público, personalidade de televisão, ator, dublador, autor e cantor/compositor. Chris vive pelo Ethos dos SEALs da Marinha dos EUA. Ele concordou em responder algumas perguntas sobre os Navy SEALs, sua vida e sua carreira. Recebemos 9 perguntas "quentes" com respostas especialmente para você.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

APRESENTADO O PRIMEIRO VEÍCULO ROBÓTICO ANTI TANQUE DO MUNDO

ABU DHABI, IDEX 2019 - A poderosa empresa MBDA, conhecida pela sua forte atuação no desenvolvimento e fabricação de mísseis, se juntou a Milrem Robotics, uma empresa especializada em projetos de veículos remotamente pilotados  para emprego militar para desenvolverem o THeMIS, o primeiro veículo não tripulado projetado para destruir tanques de guerra. O THeMIS  foi apresentado na feira internacional IDEX 2019 em Abu Dhabi e revelou um UGV (veículo terrestre não tripulado) equipada com uma torre IMPACT (Integrated MMP Precision Attack Combat Turret) que permite o lançamento de dois mísseis anti tanque MMP, um modelo de míssil de 5º geração, que está sendo produzido desde 2017, que faz uso de um sistema de guiagem por infravermelho e TV e uma ogiva de alto explosivo capaz de penetrar 1 metro de blindagem de aço a uma distancia de até 4 km. Além dos dois mísseis, o THeMIS  possui uma metralhadora em calibre 7,62x51 mm para auto defesa. Foi informado que o novo veículo  opera com um motor hibrido diesel-elétrico que permite uma autonomia de 10 horas e acelerar a uma velocidade máxima de 22 km/h.


Gostou desta publicação? Receba todas as novas matérias do WARFARE Blog nos seguindo nas redes sociais: INSTAGRAMFACEBOOKMeWe e TWITER. Não deixe de compartilhar também!
Prestigiem nossos parceiros também:
EBLOG: http://eblog.eb.mil.br
NAVIOS DE GUERRA WARFARE Blog: https://www.facebook.com/groups/2186884164961505/