segunda-feira, 14 de setembro de 2015

CLASSE SLAVA. O poderoso legado soviético na marinha russa de hoje.

FICHA TÉCNICA
Tipo: Cruzador lança mísseis.
Tripulação: 529 homens.
Data de comissionamento: Janeiro de 1983.
Deslocamento: 12500 Toneladas (carregado).
Comprimento: 186,4 mts.
Calado: 8.4 mts.
Boca: 20.8 mts.
Propulsão: 4 turbinas a gás M8KF que produzem 108800 hp de potencia, 2 turbinas auxiliares a gás M-70 que produzem 11000hp de potencia e duas hélices.
Velocidade máxima: 32 nós (59,3 km/h).
Alcance: 12100 Km  em velocidade de cruzeiro baixa (18 nós).
Sensores: Radar de busca aérea 3D MR-800 Voshkod (Top Pair) com 555 km de alcance; radar de busca 3D MR-710 Fregat-MA (Top Plate 3D) com alcance de 370 km, radar de controle de tiro Top Dome, Sonar de casco MG-332 Tigan-2T Bull Horn, Sonar rebocado tipo Platina/ Horse Tail.
Armamento: SSM: 16 mísseis SS-N-12 Sandbox (P-500 Bazalt); SAM: 8 lançadores verticais para 8 mísseis SA-N-6 Grumble (S-300F) (64 mísseis), 2 lançadores duplos SA-N-4 Gecko (OSA-M) um canhão duplo de 130 mm modelo AK-130, 6 canhões AK-630 de 30 mm e 6 canos rotativos. ASW: 2  tubos M-57 para 5 de torpedos de 533 mm, 2 lança foguetes com 12 foguetes RBU-6000 Smerch 2 cada.
Aeronaves: 1 helicóptero anti-submarino Kamov Ka-27PL ou Ka-25RT.

DESCRIÇÃO
Por Carlos E.S.Junior
O grande cruzador lança mísseis classe Slava, (Project 1164 Atlant) foi projetado para a marinha soviética entre o fim dos anos 60 e início dos 70  como uma solução para os altíssimos custos envolvidos na aquisição e manutenção dos cruzadores de batalha da classe Kirov, (Project 1144), o maior navio de batalha em serviço atualmente no mundo, e já descrito nesse blog. O primeiro navio desta classe, o Slava (depois do fim da União Soviética, foi rebatizado de Moskva) entrou em serviço janeiro de 1983 e ao todo foram construídos três navios desta classe. Um quarto navio, que estava em propriedade da marinha ucraniana nunca foi terminado devido a falta de recursos financeiros para o término deste navio e acabou virando sucata.
Mesmo menor que o Kirov, o Slava é um navio de tamanho acima da média tendo 186,4 m de comprimento e boca de 20.8 metros, este navio possui um deslocamento de 12500 toneladas, mostrando números que superam o do cruzador Ticonderoga da marinha dos Estados Unidos.
Para movimentar esse gigante a propulsão é do tipo COGOG (combinação de propulsão a gás com gás, ou seja, com dois modelos diferentes de turbinas a gás), onde são usadas quatro turbinas a gás M8KF e outras duas turbinas a gás M-70 que juntas garantem mais 108800 hp de potencia. Com essa força toda, o Slava atinge uma velocidade máxima de 32 nós (59,3 km/h), o que pode ser considerado muito bom para um navio com esse deslocamento. Seu alcance, como esperado para um navio desse porte, é grande, chegando a 7500 milhas náuticas (12100 km).
Acima: Com dimensões impressionantes, o Slava tem espaço de sobra para instalação de antenas, sensores e armamentos.
De cara, quando se olha um navio da classe Slava, a primeira coisa que se nota são seus 16 grandes lançadores de mísseis SS-N-12 Sandbox (P-500 Bazalt) dispostos em 8 unidades de cada lado do navio. O aspecto desse pesado armamento montado daquela forma causa uma sensação de incrível poder de fogo. Esses enormes mísseis de cruzeiro anti-navio possuem desempenho de voo supersônico, podendo atingir um alvo a 550 km de distancia. Sua ogiva de 1000 kg é potente e capaz de causar um seríssimo estrago no casco de grande navio como um super porta aviões da marinha norte americana. No inicio da carreira deste poderoso míssil, algumas unidades eram equipadas com ogivas nucleares de 350 kt (kiloton) de potência usadas para atacar as formações dos grupos de batalha inimigos. Continuando a falar do armamento, que é o aspecto mais notável deste grande cruzador, o Slava é armado, também, com 8 silos  (lançadores verticais) octoplus para mísseis antiaéreos SA-N-6 Grumble (S-300F) que possui um alcance de 90 km e pode destruir um alvo a 25 Km de altitude. Ao todo são transportados 64 mísseis desse tipo no Slava. Seu sistema de guiagem se dá por sistema semi ativo, onde um radar do navio ilumina o alvo para que o míssil o atinja. Ainda para guerra antiaérea existem 2 lançadores duplos de mísseis SA-N-4 Gecko (OSA-M) com alcance de cerca de 15 km e guiado por comando de radio. O Slava está equipado com um canhão duplo de 130 mm modelo AK-130 de uso antiaéreo e anti-superfície. O alcance deste canhão chega a 23 km. Para defesa anti-aérea de ponto existem 6 canhões automáticos AK-630 de 30 mm com 6 canos giratórios que proporcionam uma cadencia de 4000 tiros por minuto. Para guerra anti-submarino o Slava está armado com dois lançadores de torpedos M-57 com 5 tubos de 533 mm cada e 2 lançadores de foguetes anti submarinos RBU-6000 Smerch 2 com alcance de 4300 metros. Ainda é operado um helicóptero anti-submarino Ka-27PL Helix, dando uma suíte de combate anti-submarino bem completa.
Acima: Observem os dois homens no canto direito dessa foto onde um poderoso míssil P-500 Bazalt (SS-N-12 Sandbox) é carregado no Slava. O míssil é do tamanho de um caça!
Para poder usar todo esse pesado armamento instalado, o Slava conta com uma suíte de sensores de grande desempenho composto por um radar tridimensional (3D) de busca aérea e de superfície MR-800 Voshkod (denominado pela OTAN como Top Pair) cujo alcance é de 450 km para alvos aéreos e 50 km para alvos de superfície. Este radar opera de forma integrada a outro radar tridimensional de busca do modelo MR-710 Fregat-MA (Top Plate 3D), com alcance de 300 km. Para controle de tiro e designação de alvos para o sistema de mísseis SA-N-6 há um radar de controle de tiro especifico chamado Top Dome, usado também pelo Kirov. O Slava tem um sonar de casco MG-332 Titan-2T Bull Nose que faz busca ativa e passiva e com um alcance de 5,5 km. O outro sonar transportado no Slava é o Platina/ Horse Tail que é do tipo rebocado e opera ativa e passivamente em baixa frequência e tem um alcance de 40 km.
Acima: A antena mais alta é do sistema de radar MR-800 Voshkod (Top Pair) e o segundo, montado logo atrás e mais baixo é o sistema de radar MR-700 Fregat (Top Steer). Nos navios desta classe que foram construídos posteriormente, esse radar foi substituído pelo MR-710 Fregat MA (Top Plate).
Mesmo sendo um navio com mais de 30 anos de serviço e com sua tecnologia ultrapassada quando comparado com os modernos projetos ocidentais, o Slava é ainda um navio muito capaz devido s seu enorme poder de fogo. Ele deverá permanecer em serviço por mais alguns anos uma vez que não existe um substituto para ele num horizonte visível. A marinha russa esteve, durante muito tempo, acostumada a operar grandes e caros navios de guerra e fica a dúvida de como será o futuro da frota russa quando os atuais cruzadores desta potência militar tiverem que dar baixa.
Acima: Os navios da classe Slava devem permanecer por muitos anos na ativa ainda. Seu grande poder de fogo lhe permite ser respeitado pelo inimigo, mesmo mais moderno.


ABAIXO PODEMOS VER O PODER DE FOGO DO SLAVA EM AÇÃO.


Você gosta de tecnologia militar? Fique por dentro das atuais e futuras armas que estão em combate no campo de batalha. Siga o WARFARE no TwitterFacebook.

8 comentários:

  1. Carlos, quais são as defesas,manobras... que um super porta aviões tem ou faz para escapar do míssil SS-N-12 Sandbox, e qual a porcentagem de acerto do míssil com todas as defesas de um super porta aviões ativadas? Desculpa ai mas são muitas duvidas.

    ResponderExcluir
  2. Olá Rafael. O míssil Sandbox é uma arma supersônica e isso dificulta demais a capacidade de defesa contra esse tipo de arma. O ideal para a sobrevivência de seu alvo é simplesmente evitar ficar no raio de ação dele, ou, pelo menos dificultar ao máximo através do uso de ECMs a detecção do navio. Dafo ao grande alcance desta arma, é bem provável que ele dependa de informações de posicionamento do alvo coletados por um meio aéreo que pode ser o helicóptero orgânicos do navio ou uma aeronave de patrulha marítima. Destruir o mais rápido possível essas aeronaves também [é importante para se evitar ser atacado por esse tipo de arma.

    ResponderExcluir
  3. Bom para lançar o míssil, primeiro tem que identificar onde esta o alvo, ou ter uma ideia de onde esta para lançar o míssil em um sistema de procura. Não sou especialista, mas se nota o grande poder do navio em potencia de fogo, mas ele aparentemente tem mais chance de ser identificado primeiro do que até seus congeneres de época, pois tem um convés visualmente sujo sem se preocupar com assinatura radar isto já, em comparação a navios modernos nem se fala. Não adianta ter a arma mais possante e com maior alcance se não conseguir ver, identificar ou saber onde estar o inimigo primeiro. Isto já foi provado em combate diversas vezes.

    ResponderExcluir
  4. Esse navio é demais! Imponente.

    ResponderExcluir