segunda-feira, 11 de maio de 2015

CLASSE F-100 ÁLVARO DE BAZÁN. As maiores garras da marinha espanhola.


FICHA TÉCNICA  
Tipo: Fragata de defesa antiaérea. 
Tripulação: 250 tripulantes.
Data do comissionamento: Setembro de 2002.
Deslocamento: 5800 toneladas (totalmente carregado). 
Comprimento: 146,7 m. 
Boca: 18,6 m. 
Propulsão: 2 motores diesel Bazán Bravo-12 e duas turbinas a gás General Electric LM 2500 que produzem juntas uma potência de 47494 HP 
Velocidade máxima: 29 nós (54 km/h). 
Alcance: 8300 Km. 
Sensores: Radar multifunção tridimensional SPY-1D com 450 Km de alcance. Radar de busca de superfície AN/SPS-67 (V)4. Radar de controle de fogo Raytheon SPG-62 MK-99, Sonar: Raytheon DE-1160 LF. 
Armamento: 1 lançador vertical MK-41 para 64 mísseis antiaéreos ESSM ou 32 mísseis SM-2 Standard, 1 sistema CIWS Meroka 2B com 12 canos de 20 mm; 2 lançadores quádruplos para mísseis antinavio RGM-84D Harpoon, 1 canhão MK-45 de 127 mm; 2 canhões de 20 mm; ASW: 2 lançadores triplos MK-32 mod-9 para torpedos leves MK-46.
Aeronaves: 1 helicóptero Sikorsky SH-60B Sea Hawk.

DESCRIÇÃO
Por Carlos E. S. Junior
A poderosa fragata espanhola, F-100 Álvaro De Bazán, ou simplesmente F-100, é um ícone dentro dos modernos vasos de superfície nas forças navais mundiais. A F-100, além de muito bem armada, é também muito bem equipada eletronicamente, sendo a primeira fragata, a ser equipada com o poderoso sistema de busca AEGIS, muito conhecido graças aos poderosos destróieres e cruzadores americanos que o empregam. De fato, esse sistema torna a fragata F-100, um navio impar na categoria dele.
A F-100 foi construída pelo estaleiro Izar, sob uma encomenda da marinha espanhola que precisava de escoltas mais eficientes que pudessem prover ampla cobertura antiaérea, combate antinavio e caça a submarinos. Foram encomendados 5 navios, sendo o primeiro, o Álvaro de Bazan comissionado em setembro de 2002. Atualmente todos os 5 navios estão em serviço, dando uma capacidade de escolta elevada para a marinha espanhola e para a aliança da OTAN da qual a Espanha é signatária.
Acima: Graças ao uso do sistema AEGIS de radar, a Álvaro de Bazán tem suas linhas parecidas com as encontradas nos destróieres da classe Arleigh Burke já apresentado neste site.
O principal sensor do F-100, é o poderoso radar SPY-1D AEGIS, que permite rastrear de 800 alvos a 450 Km de forma ininterrupta, já que se trata de um radar de varredura eletrônica. Sem dúvidas é o melhor sistema de busca já instalado num navio da categoria de fragata. O sistema AEGIS controla a detecção e a sequencia de engajamento mais adequada para cada situação. Atualmente uma nova versão deste potente radar está sendo instalada no F-100. Um outro radar, o AN/SPS-67, também está instalado, fazendo busca bidimensional, de curto alcance (cerca de 115 km), e otimizando a capacidade de detecção de alvos de superfície. Para controle de fogo foi instalado o radar Raytheon SPG-62 MK-99 que fornece os dados do alvo para os mísseis SM-2 Standard.
O sonar usado, é um Raytheon DE-1160 LF, que funcional na forma ativa e na passiva. Este sonar está montado no arco do casco do navio.

Acima: As fragatas da classe Álvaro de Bazán são capazes de proporcionar uma varredura antiaérea de longo alcance graças as 4 antenas de radar SPY-1D do sistema AEGIS.
O armamento do F-100 é composto por 2 lançadores quádruplos de mísseis RGM-84D Harpoon, antinavio, com alcance de 130 Km, e orientação por radar ativo na fase terminal do ataque. Esta arma é bem comum, nos países considerados amigos pelos Estados Unidos. Para combate antiaéreo, o F-100 está equipado com um lançador vertical MK-41 com 32 células de lançamento para mísseis ESSM  (64 mísseis) com alcance de 50 km e guiagem semi-ativa. O lançador MK-41 pode também ser equipado com os mísseis Raytheon Standard SM-2 MR block III (32 mísseis), com alcance em torno de 74 km, e guiagem semi-ativa, como no ESSM. O navio, está armado com um canhão multifunção MK-45 mod 2 de 127 mm, que é usado para dar apoio de fogo em ações de desembarque, ou contra alvos aéreos. Para tanto, esse canhão é controlado por um radar de controle de fogo DORNA, que funciona usando um sistema de apoio eletro-óptico, junto com a antena de radar de banda K. Este canhão consegue uma cadência de 20 tiros por minuto e suas granadas atingem uma distancia de 24 km. Para defesa de ponto um sistema CIWS Meroka 2B, com 12 canos de 20 mm, rendem uma cadência de 1440 tiros por minuto. Esse sistema está integrado a uma câmera infravermelha, e ao radar AEGIS. Além do Meroka, mais 2 canhões de 20 mm estão montados no convés.Os lançadores de torpedos não foram esquecidos para armar o F-100, e foram instalados 2 lançadores triplos, MK-32 para torpedos leves MK-46, capazes de atingir um alvo a 11 km de distancia e 365 metros de profundidade. Ainda, para apoio a guerra antissubmarino, os navios desta classe operam um helicóptero Sikorsky SH-60B Seahawk (LAMPS III)

Acima: O míssil antiaéreo ESSM é lançado do lançador vertical MK-41. Ao todo podem ser lançados 64 mísseis deste tipo ou uma combinação deste com o míssil SM-2MR Standard Block IIIA.
A propulsão do F-100 é do tipo CODOG, ou seja, a já bem conhecida combinação diesel e gás, igual a tantos outros navios já descritos nesse blog. O sistema é eficaz e permite uma manutenção com custos mais aceitáveis que a de uma propulsão nuclear. Dois motores diesel Bazán Bravo-12. As turbinas a gás, são duas GE LM 2500, também amplamente difundidas nesse tipo de navio. Essa combinação propulsora produz 47494 HP de potência levando a F-100 a uma velocidade máxima de 29 nós (54 km/h), o que é muito bom para esse tipo de navio e permitindo a F-100 operar em grupos de batalha como escolta. Sua autonomia, também muito boa, chega a 8300 km. 

Acima: Um heliporto e um hangar na popa da Álvaro de Bazán, permite operar um helicóptero SH-60B Seahawk que faz missões de caça antissubmarino e busca e salvamento.
A F-100 é uma fragata que poderia ser classificada como um verdadeiro destróier, em algumas marinhas dado a sua excelente capacidade de combate. O custo desse elevado poder de fogo, no entanto, pesa. Uma F-100 sai hoje por cerca de USD 904.000.000,00. Valor, também,  típico de um destróier. A Espanha tem uma das melhores fragatas do mundo atual, sem duvida alguma. A Austrália também acabou embarcando com sua marinha na poderosa F-100 quando encomendou sua nova fragata classe Hobart, que é baseada na F-100.


ABAIXO TEMOS UM VÍDEO COM A F-100 EM AÇÃO.


Você gosta de tecnologia militar? Fique por dentro das atuais e futuras armas que estão em combate no campo de batalha. Siga o WARFARE no Twitter, Facebook ou assine nossa lista de atualização por e-mail no editorwarfare@gmail.com

Um comentário:

  1. Sem duvidas a f 100 e a melhor frafata concorendo ao prosuper.

    ResponderExcluir