quinta-feira, 23 de abril de 2015

COLT M-45A1 CQBP. A prova da imortalidade de um bom projeto.


FICHA TÉCNICA
Calibre: 45 ACP.
Peso: 1270 gramas.
Capacidade: 7 + 1 tiros..
Comprimento do cano: 5 pol.
Comprimento total: 2159 mm.
Gatilho: Ação simples.
Sistema de operação: Recuo curto.
Mira: Fixa com sistema tridot.

DESCRIÇÃO
Por Carlos E.S.Junior
O mundo das armas de fogo tem uma característica muito interessante que é a longevidade de alguns projetos de armamentos que não se aposentam simplesmente pela sua excepcional confiabilidade, precisão e eficácia. Muitos são os exemplos disso. Temos o fuzil AK-47, projetado no fim de 1945 e que está em operação até os dias de hoje, 70 anos depois, em várias configurações, sendo algumas delas bem similares a versão original e outras mais modernas agregando modificações que a modernidade e conhecimento adquirido em campos de batalha do século XX trouxe. Existem outros exemplos parecidos com este que citei do fuzil russo. Porém, o foco desta matéria é apresentar  um dos casos de maior longevidade nesse segmento: A mais moderna versão da centenária pistola Colt M-1911 projetada pelo gênio da engenharia bélica John Moses Browning em em 1907 para preencher os requisitos de uma pistola em calibre 45  (11,43 mm) para substituir os revolveres calibre 38 em uso pelo exército dos Estados Unidos e que havia demonstrado uma fraca capacidade de "parar" os inimigos durante a campanha contra os Moros nas Filipinas. O resultado dos estudos foi o  desenvolvimento do, hoje, consagrado calibre 45 ACP (Automatic Colt Pistol). Depois de testes com armas de vários fabricantes, a empresa Colt, com o projeto de John M Browning venceu, por unanimidade em 1911, o que levou a adoção do nome Modelo 1911 ou simplesmente M-1911. A arma lutou em praticamente todas as guerras e conflitos do século XX e nesse começo do século XXI.  Está claro que com a recente adoção (em 2010) pelo USMC (Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos) de um modelo derivado da M-1911, altamente aperfeiçoado pela Colt, chamado de M-1070CQBP, e batizado, dentro do USMC como M-45A1 CQBP, permitirá que esse projeto siga por muito tempo ainda em serviço operacional.

Acima: Acima temos um exemplar das primeiras pistolas Colt M1911 do exército dos estados Unidos. Comparem com a nova Colt M45A1 mostrada na foto a baixo.

A nova pistola dos fuzileiros navais americanos recebeu uma encomenda inicial de 4036 exemplares, mas com novas encomendas a serem feitas no decorrer do processo de reequipamento da tropa. A Colt venceu uma concorrência onde a Springfield Armory e a não tão famosa Karl Lippard Designs também apresentaram propostas. O modelo Colt M-45A1 apresenta uma série de modificações como a incorporação de um trilho padrão picatinny abaixo da armação, por sua vez produzida em aço inoxidável, que facilita a instalação de acessórios como lanternas e apontadores laser. O gatilho teve sua dimensão aumentada o que dá melhor conforto para o disparo e ele foi produzido em alumínio. O sistema de mira adotado é fixa, e zerada de fábrica, apresentando 3 pontos luminescentes de tritium da marca Novak, um líder na concepção desse tipo de mira.

Acima: A M-45A1 traz o que existe de melhor em uma pistola de combate. O trilho picatinny está bem visível nessa foto, a frente do guarda mato, o que, junto com o acabamento fosco representa as características marcantes desta nova versão da M-1911.
O sistema de funcionamento permanece o mesmo confiável sistema de recuo curto com ação simples do gatilho, que garante boa eficiência de funcionamento a arma e o carregador monofilar foi mantido (mesmo existindo versões com carregadores bifilares) o que embora proporcione maior poder de fogo, limita o conforto da "pega" comprometendo a ergonomia, para pessoas com mãos de média e pequenas dimensões. As talas na empunhadura são de borracha e pouco mais espeças que as M-1911 que também torna a ergonomia melhor. O carregador tem a capacidade original das M-1911, ou seja de 7 munições, o que, somado à munição que vai na câmara, totaliza 8 tiros de capacidade da M-45A1. É interessante observar nesse ponto que o carregador da M-45A1 não é fabricado pela Colt, mas sim por uma empresa que, normalmente, é concorrente deles no mercado, a Wilson Combat. A cor de deserto fosca apresentada da M-45A foi requisitada pelo comando dos fuzileiros navais (USMC) o que acabou se tornando uma das características mais marcantes dessa ultima versão militar da velha guerreira da Colt. 

Acima: A desmontagem de primeiro escalão é exatamente a mesma da família M1911,que pode ser considerada relativamente fácil de ser feita para limpeza e lubrificação.
A pistola M-45A1 é apenas mais uma prova de quanto pode ser longa a carreira ativa de uma arma de fogo bem projetada, precisa e eficaz. Com a incorporação de novas soluções táticas como o trilho de acessórios, acabamento fosco e produzida em aço inoxidável com acebamento fosco, para evitar reflexo, a ultima variante desta pistola de projeto de inicio de século passado, se manterá em serviço militar, policial 
e no mercado de defesa civil nos países democráticos por muitas décadas com certeza. Sua capacidade do carregador, pode, dependendo de ponto de vista pessoal de cada um, ser considerado uma desvantagem, porém, isso pode ser resolvido com treinamento para melhorar a precisão do operador para que este não desperdice tiros em situação de combate.

Acima: Uma das maiores qualidades da Colt M45A1 é sua precisão nata. A foto mostra um tipico resultado de tiro sobre tiro, conseguido por um atirador treinado somado as características da arma.


Acima: Um fuzileiro treina com sua M-45A1. O modelo M-1911 é muito apreciado pelos fuzileiros devido a sua confiabilidade, poder de parada e precisão.

ABAIXO TEMOS UM VÍDEO COM UMA DEMONSTRAÇÃO DA M-45A1.

Curtiu o blog Full Metal Jacket? Assine a lista de atualizações através da ferramenta de alertas na barra lateral do blog, ou pelo e-mail editorwarfare@gmail.com e siga a fanpage WARFARE no facebook pelo endereço: www.facebook.com/warfareblog

Nenhum comentário:

Postar um comentário