quinta-feira, 26 de setembro de 2019

BRUGGER & THOMET APC-9. A nova submetralhadora das forças de segurança do Exército dos Estados Unidos.


FICHA TÉCNICA
Tipo: Submetralhadora.
Sistema de operação: Blowback com ferrolho fechado.
Calibre: (APC-9): 9X19 mm; (APC-45): 45 ACP.
Capacidade: Carregadores de 15, 20, 25 e 30 munições.
Peso: 2,7 kg. (vazia).
Comprimento Total: 59,7 cm (Estendida), 37,8 cm (coronha rebatida).
Comprimento do Cano: 6,9 polegadas (175 mm).
Miras: Alça e massa dobráveis e um trilho picatinni integral para miras opticas.
Cadência de tiro: 1080 tiros por minuto.
Velocidade na Boca do Cano: 405 m/seg (munição 9 mm padrão).

DESCRIÇÃO
Por Ironhead
A desconhecida empresa suíça Brügger & Thomet  (B&T) é um fabricante de armas de fogo que ganhou atenção no começo de 2019 por ter vencido uma concorrência para o Exército dos Estados Unidos para fornecimento de uma submetralhadora sub compacta para ser empregada por militares responsáveis por segurança pessoal de potenciais alvos de alto risco (autoridades politicas e militares) norte americanas.
Aqui no WARFARE Blog, a marca já foi citada na matéria sobre a submetralhadora MP-9, versão da TMP, originalmente projetada pela Steyr, e atualmente fabricada pela empresa suíça.
A B&T é uma empresa relativamente jovem, tendo sido fundada no final da década de 90 do século passado. Em pouco tempo, a empresa passou a produzir uma grande variedade de tipos de armas que vão de pistolas a fuzis de precisão de longo alcance.
Acima: A APC-9 possui um desenho convencional, tendo como diferencial o baixo peso e o fato de vir com uma mita de qualidade reconhecida Aimpoint Micro TL-1 tipo red dot.
O armamento que será foco deste artigo é a submetralhadora APC-9, cuja sigla "APC" significa "Advanced Police Carbine". O foco que os projetistas tiveram foi o de fornecer uma arma para emprego policial e para forças especiais através de analise de requisitos para uma arma que usasse munição de arma curta e que tivesse versatilidade para emprego em diversas situações que incluem combate em ambientes confinados (CQB), arma de defesa pessoal (PDW), armamento para emprego em ambiente urbano, etc.
A escolha da munição, considerando tais requisitos, caiu como uma luva sobre o 9x19 mm, conhecido também por 9 mm Luger, Parabellum, ou simplesmente 9 mm NATO, em referência ao padrão adotado pela aliança militar ocidental OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e o velho guerreiro calibre 45 ACP (Automatic Colt Pistol), cuja versão neste calibre é chamada de APC-45.
Acima: A APC-9 é fabricada nos calibres 9 mm (foto) e no calibre 45, sendo esta ultima na versão APC-45
A APC-9 opera por sistema blowback, aproveitando a própria energia do recuo do disparo da munição para movimentar o ferrolho para liberar a câmara do estojo da munição deflagrada e alimentar com uma nova munição. A APC-9 possui uma cadência de 1080 disparos por minuto, o que pode ser considerado muito alta, o que obriga a um treinamento mais rigoroso de tiro para que o operador seja habilitado em usar o regime automático sem desperdiçar munição (o que é bastante difícil). Nesse ponto, tem se observado vários projetos modernos de armas automáticas tem objetivado reduzir a cadencia de tiro com o intuito de  facilitar o controle da arma em regime automático.
Esta submetralhadora possui seletor de fogo com 3 posições que são as básicas "safe" (travada); semi automático e totalmente automático (rajada). Não há a posição de rajada curta ou "burst", como em alguns concorrentes deste modelo.
Acima: A tecla seletora de disparo na APC-9 possui apenas as três posições básicas e é ambidestra.
A APC-9 pode usar carregadores 15, 20, 25 e de 30 munições de capacidade e que é produzido em plástico translucido, o que facilita a visualização da munição disponível (o que também pode ser negativo pois o inimigo, dependendo da situação, também poderá ver).
Um ponto a ser observado é que a alavanca do ferrolho é reversível, para qualquer lado, e as teclas da APC-9  de seleção de disparo e liberador do ferrolho são ambidestras.
Na parte superior da arma há um trilho integral padrão picatinny que facilita a instalação de acessórios, porém, a arma vem de fabrica com uma mira Aimpoint Micro TL1, do tipo red dot.
No guarda mão há trilhos nas laterais e na parte de baixo, para instalação de acessórios como lanternas, miras laser ou grip frontal.
O baixo recuo somado a agilidade de aquisição do alvo com essa mira dão a APC-9 uma agilidade elevadíssima para o rápido engajamento do alvo.
A coronha padrão é do tipo rebatível com desenho esqueletizado para redução de peso. Existe, porém, opção de substituir essa coronha por outros modelos como uma de tubo que possui um formato baixo que facilita seu uso com capacetes com protetores faciais (como os usados em operações de tropas de choque). O corpo da arma é produzido em polímero, o que contribui para um peso reduzido.
Acima: O uso de um trilho integral na parte superior ajuda muito na flexibilidade de configurações de acessórios como sistemas de miras.
Além dos Estados Unidos, esta excelente submetralhadora é encontrada em mãos de policiais e agencias de segurança da Suíça, Jordânia, Bósnia e Herzegovina, Eslováquia, Bélgica, Lituânia e Áustria. Considerando a qualidade elevada desta arma, e seu projeto recente (arma foi colocada em serviço em 2011), é previsível que ela consiga penetrar ainda mais rapidamente em novos mercados depois de ter passado na concorrência para uma submetralhadora sub compacta para o Exército dos Estados Unidos que acaba tendo um apelo comercial muito forte aumentado significativamente sua visibilidade no mercado mundial de armamentos.
Acima: A coronha rebaixada apresentada nesta APC-9 permite o uso do armamento por operadores empregando capacetes com viseiras como as vistas em tropas de choque.

Acima: Nesta foto podemos ver uma APC-9 com supressor de ruido, lanterna tática na lateral direita e o grip frontal.






Nenhum comentário:

Postar um comentário