terça-feira, 12 de outubro de 2021

Soldados Colombianos na Coréia


Por Filipe do A. Monteiro, Warfare Blog, 12 de outubro de 2021.

No dia 16 de julho deste ano foi celebrado o 70º aniversário do desembarque do Batalhão Colômbia (Batallón Colombia, apelidado El Colombia) em Busan, na Coréia do Sul, com o efetivo de 1.080 homens. A Colômbia foi o único país latino-americano a lutar na Guerra da Coréia. Ao todo, os colombianos enviaram cerca de 5.100 homens para lutar na Coréia sob a ONU de 1951 a 1953, com o batalhão se destacando na Batalha de Old Baldy em 1953.

Na época da Batalha de Old Baldy, o Batalhão Colombiano estava na 7ª Divisão sob o comando do General Wayne C. Smith. A unidade sul-americana era o quarto batalhão do 31º Regimento comandado pelo Coronel William Kern, que havia ordenado ao Tenente-Coronel Alberto Ruiz Novoa, comandante colombiano, substituir o 1º Batalhão do regimento em Old Baldy.

O monumento consta de uma estátua de um soldado colombiano com o uniforme da época: capacete americano M1 com rede, fuzil M1 Garand, granadas, uniforme verde oliva, botas americanas e mochila.

O batalhão recentemente havia atacado e capturado a Cota 180, parte da Batalha da Colina de Yeoncheon (Bárbula), tendo perdido 11 mortos, 43 feridos e 10 desaparecidos em combate corpo-a-corpo com os chineses. A Companhia C foi considerada "combat ineffective" e retirada da posição recém conquistada; dois dias depois os colombianos foram ordenados para Old Baldy.

Os colombianos suportariam contínuas barragens de artilharia em preparação para a ofensiva chinesa. Em 20 de março, toda a linha do 31º Regimento foi bombardeada continuamente. Em 21 de março, os chineses expuseram os corpos de 5 soldados da ONU (4 colombianos e 1 americano) em uma tentativa de atrair soldados para o resgate. A missão foi concluída com a entrada nas linhas inimigas por uma patrulha de homens voluntários da Companhia C. O Soldado Alejandro Martínez Roa alcançou a crista, desativou uma mina sob um dos corpos, desceu com um dos cadáveres, escapou do fogo inimigo e quando encontrou outras tropas colombianas, voltou à crista com o Cabo Pedro Limas Medina e a patrulha e resgatou os outros. A ação heróica foi recompensada com quatro Estrelas de Prata no campo de batalha.

Old Baldy em 22 de março de 1953.

No dia 22 de março, o bombardeio de amolecimento da posição colombiana em Old Baldy aumentou, com mais de 2.000 mil obuses e morteiros caindo sobre a área.

No dia 23 de março de 1953, o ataque chinês iniciou avançando sob pesado bombardeio das posições colombianas. O 1º Batalhão do 423º Regimento Chinês, 141ª Divisão, comandado por Hou Yung-chun, foi selecionado para atacar o Old Baldy. O oficial político da unidade escolheu a 3ª Companhia para liderar o ataque e plantar a "Bandeira da Vitória" no morro. Os chineses estavam enfrentando diretamente a maltratada Companhia B colombiana. Às 20h30, a Companhia A do 2º Tenente Alvaro Perdomo em Dale foi atacada brutalmente. Depois de uma resistência tenaz e forte apoio das companhias B e C, os colombianos foram desalojados de sua posição. Ao mesmo tempo, os chineses lançaram um ataque diversionário a Pork Chop Hill; percebido pelo Coronel Kent, o comandante regimental, como o ataque principal.

O Tenente Alfredo Forero Parra, comandando a Companhia B, assim descreveu o ataque em Old Baldy:

"Quarenta minutos após o ataque a Dale e Pork Chop Hill, artilharia tremendamente pesada e morteiros caíram sobre Old Baldy. A terra tremeu como se em um terremoto acompanhado de explosões ensurdecedoras e relampejantes em toda a posição da Companhia B. As silhuetas fugazes dos homens, armas e fortificações enfraquecidas pareciam fantasmas dentro das rajadas do inimigo. Gritos de angústia e agonia se misturavam com o barulho da nossa própria metralhadora e do inimigo. A batalha era travada a cada momento. Podíamos ouvir a uma curta distância os tiros dos morteiros 60 e 82mm inimigos. As comunicações foram perdidas, ninguém respondeu, nem mesmo os comandantes de esquada. De repente, foi relatado a morte do meu sargento de pelotão substituto, Azael Salazar Osorio, então o comandante da terceira esquadra, Cabo José Narvaez Moncayo, que perto de morrer ele gritou para ser levantado para aliviar seu sofrimento porque ele havia sido cortado na cintura e nada poderia ser feito por ele. Em meu posto de batalha, a morte do Cabo Ernesto Gonzalez Varela, comandante da segunda esquadra, foi atroz. Estávamos quase tocando os cotovelos. Ele disparou sua metralhadora contra um ataque de chineses que vieram sobre nós quando um projétil de bazuca o atingiu no rosto, deixando sua cabeça pendurada nas costas. Achei que estava vivendo um pesadelo ou um filme de terror até que novas explosões no meu bunker me trouxeram de volta à realidade. Eu encorajei meus homens e continuei a me comunicar com metralhadoras e dei instruções para um cabo tirar o lança-chamas e se preparar para atirar no inimigo quando eles aparecessem.

Em poucos minutos, dois soldados chegaram à casamata gritando: 'Os chineses, os chineses!' Com certeza, os chineses se lançaram sobre nossa posição com uivos estridentes, disparando rajadas de metralhadoras e lançando granadas."

O ataque não teve sucesso. Eles foram detidos na cerca de arame farpado, deixando-a cheia de cadáveres inimigos.

Parada de soldados colombianos na Coréia.

Uma nova onda de chineses atacou novamente, rompendo a linha de defesa e alcançando as trincheiras colombianas. O uso das reservas para acudir Pork Chop Hill manteve a posição colombiana enfraquecida, e a Companhia C, golpeada duramente em Bárbula, ainda não estava em condições operacionais.

Um regimento chinês perfeitamente sincronizado havia lançado o ataque a Dale. Como o comando do regimento foi distraído pelo ataque anterior ao batalhão americano adjacente à companhia colombiana, outro regimento chinês avançou na escuridão em direção a Old Baldy e assumiu posições de assalto enquanto uma terrível chuva de artilharia inimiga caía. O bombardeio incessante daquele e dos dias anteriores tinha mais do que alcançado seus objetivos de amolecimento, destruindo boa parte do arame farpado e das minas, deixando as trincheiras sem defesas contra o ataque direto. A noite toda lutaram ferozmente em meio à confusão causada pela escuridão e pela presença de elementos de duas companhias colombianas em Old Baldy, já que o reforço ao final incorporou apenas metade do efetivo das companhias C e B. A situação da defesa não poderia ser mais fraca. Um batalhão completo atacando e duas companhias adicionais reforçando era uma força muito grande contra as três companhias diminuídas do El Colombia.

O Tenente-Coronel Ruiz Novoa anunciou sua intenção de usar a companhia de reserva americana que lhe fora designada para contra-atacar e proteger as tropas em combate. O oficial de ligação americano empalideceu com o pedido. Com voz trêmula, declarou que a reserva já havia sido utilizada para conter a penetração chinesa em Pork Chop Hill em defesa do 3º batalhão americano. Com ela recuperou-se a colina, ajudando os americanos. Não houve nenhum aviso ou advertência prévia ao coronel Ruiz dessa decisão.

Com o El Colombia reduzido a seus próprios meios, a unidade não tinha reserva para contra-atacar. A Companhia A, que teve que recuar ante a ferocidade do ataque inicial que precedeu aquele ao Old Baldy, estava decidida a recuperar a parte penetrada pelos chineses com suas próprias forças. As companhias B e C, no meio do revezamento, em tal confusão que nada podiam fazer.

Apesar da adversidade, a força do assalto estava prestes a quebrar, como prova uma angustiada comunicação interceptada pela inteligência divisional (7ª Divisão), na qual o comandante do batalhão de assalto chinês afirmava ser impossível tomar a cota 266 (Old Baldy). A resposta do comando chinês foi implacável: tome a elevação ou sofra as consequências! Momentos depois foi anunciado o envio de reforços.

Manequim de um soldado colombiano no Memorial da Guerra da Coréia, um museu localizado no distrito de Yongsan-dong, na capital Seul, Coréia do Sul.

Os esforços na defesa da posição se esgotavam enquanto aumentava drasticamente o número de atacantes e diminuía o número de defensores devido às baixas. O cheiro de pólvora e sangue impregnou o ar. Aquilo se transformou em um inferno. No entanto, os colombianos lutaram com sua reconhecida intrepidez. Os atacantes, prevalidos por sua enorme superioridade numérica, deviam conquistar a posição trincheira-a-trincheira, reduto-a-reduto, em violento combate corpo-a-corpo.

Por volta da meia-noite, os dois lados, convencidos de que o oposto havia tomado a colina, começaram a golpear com a dureza de suas artilharias. Ambos os exércitos, apesar de terem suas tropas no meio, descarregaram chuvas de projéteis sobre os homens que, presos no combate corpo-a-corpo, tentavam manter suas posições. As baixas de fogo amigo e inimigo se deram por igual.

Desde a meia-noite, apenas um pelotão conseguiu chegar a West View e ajudou a conter parte do ataque. Lá, os colombianos esperaram por reforços para recuperar sua posição perdida. Estes, porém nunca chegaram. Alfredo Forero:

"Às 4h30 da manhã restavam apenas seis homens, com as munições esgotadas e assediadas pelo inimigo, do segundo pelotão de fuzileiros da Companhia B. Mediante fogo e movimento avançamos em direção ao caminho dos tanques, perdendo mais três homens pela artilharia que não descansava.

Antes da meia-noite, os tanques que estavam no vale se retiraram, deixando essa entrada livre para o inimigo. Um caminhão com nossa munição parou na entrada da posição na estrada do vale. Nele vinham o oficial sapador, Tenente Leônidas Parra, e o oficial de transmissão, Tenente Miguel Ospina. Uma intensa neblina cobria a madrugada e esporadicamente ouviam-se tiros e gritos."

Ospina chegou com a ordem de tentar restabelecer as comunicações com o Comando do Batalhão, mas na dura realidade em Old Baldy não havia mais o que fazer.

Por volta das 8:00h, chegou um pelotão americano ao qual os colombianos pediram apoio de fogo para retomar a colina perdida, mas sem responder ao pedido, retiraram-se após fazerem o reconhecimento da situação. Se não fosse a heróica resistência das tropas colombianas em Old Baldy, a força chinesa poderia ter rompido a Linha Principal de Resistência da 7ª Divisão e entrado nas profundezas do território aliado com consequências muito graves, pois na estrada poderia conduzir as tropas e blindados inimigos diretamente a Seul.

Jornais da época.

Nesse momento, o comando da Divisão ordenou que a colina se transformasse em terra de ninguém. E o bombardeio mais temível começa sobre Old Baldy. O Batalhão Colômbia não conseguiu resgatar seus homens deixados para trás, feridos ou mortos. Todos ficaram à mercê da aviação norte-americana, implacável em suas ações.

As baixas colombianas foram 95 mortos, 97 feridos e 30 desaparecidos, perfazendo mais de 20% do efetivo do Batalhão. A 7ª Divisão estimou em 750 mortos as perdas dos chineses em Old Baldy.

As pesadas baixas em Old Baldy e a atitude do comandante do regimento deterioraram as relações com o comando do batalhão. Kern afirmou que poderia dispor e mover a companhia de reserva americana atribuída ao El Colombia quando necessário. Ruiz Novoa lembrou-lhe que o comando americano tinha aceitado que o ataque principal tinha sido contra a cota 266 ou Old Baldy e não contra Pork Chop, e que Kern tinha cometido um erro ao fazer rodízio das companhias no início do ataque e depois ter abandonado o batalhão por conta própria sem a companhia de reserva e não tendo consultado, coordenado ou mesmo notificado o comandante colombiano.

Escudo do Batalhão Colômbia, usado no braço esquerdo.

Um artigo da revista TIME de 6 de abril de 1953, assim mencionou as batalhas simultâneas de Old Baldy (envolvendo a 7ª Divisão) e Bunker Hill, envolvendo a "carregada de glória" 1ª Divisão de Fuzileiros Navais americana:

"Movimentos lentos. Além de suas perdas, ninguém estava preocupado com os fuzileiros navais; eles poderiam cuidar de si mesmos. Ninguém temia um avanço comunista em lugar nenhum. Em Tóquio, Mark Clark disse que também não estava preocupado com a perda de Old Baldy. Mas havia uma angústia bastante visível na 7ª Divisão, resultante de confusão tática e declarações confusas sobre o que as tropas estavam fazendo. O comandante da divisão, Major-General Arthur Trudeau, foi repreendido publicamente pelo comandante do I Corpo de Exército Paul Kendall.

Em vez de recuar de forma inteligente para o MLR, para economizar baixas até que estivessem em forma para um contra-ataque bem-sucedido, muitas das unidades da 7ª tentaram se manter firmes, lançando cozinheiros e rancheiros em combate e gritando por reforços. A longa espera havia tornado o Oitavo Exército lento. Os comandantes de batalhão e companhia não estavam preparados para a movimentação rápida de emergência de seus equipamentos e postos de comando. Nenhum posto de comando de corpo ou divisão foi movido por razões táticas em quase dois anos. A lentidão pode ser observada na movimentação das peças de campanha para a frente e no manuseio do transporte nas estradas lamacentas.

Os comunistas perderam muitas centenas, talvez milhares, de homens, por um ganho de quase nada. As perdas da ONU, embora não tão altas quanto os correspondentes temiam no início, foram substanciais."

Como resultado das enormes baixas sofridas pelo El Colômbia, o Tenente General Régulo Gaitán Patiño, da cúpula militar colombiana, partiu para a Coréia. No Comando Supremo das Nações Unidas, o Coronel Ruiz Novoa expressou francamente sua objeção às ações do Coronel Kern. Assim, o General Arthur Trudeau, comandante da 7ª Divisão, transferiu o El Colômbia para o 17º Regimento e a unidade continuou com os "Búfalos" até o final da guerra.

As forças comunistas retomaram Old Baldy em março de 1953, mas não há muitas informações em termos de baixas para ambos os lados, bem como relatos detalhados da batalha de 1953, em contraste com a batalha de 1952, bem divulgada e excessivamente sensacionalizada. No final, ambos os lados perderam muitos homens com as linhas de batalha terminando exatamente como em maio de 1952, antes da primeira batalha, emblemático da Guerra da Coréia como um todo.

Cerimônia em homenagem aos colombianos na Coréia.
O militar colombiano de bigode tem a insígnia divisional da 7º no braço e no capacete.

O Batalhão Colômbia também lutara na Batalha de Triangle Hill e na recaptura de Geumseong e na defesa do rio Han.

O total de baixas do El Colombia foi de:
  • 163 mortos em combate,
  • 448 feridos,
  • 60 desaparecidos,
  • 30 capturados.
Em 26 de junho de 2020, quando a Coréia do Sul comemorou os 70 anos do início da Guerra da Coréia, uma exibição online chamou a atenção do país. Organizado pela Embaixada da Colômbia em Seul, "A Guerra da Coréia pelos olhos de um veterano colombiano" pôde ser vista no site do Memorial da Guerra da Coréia.

Contendo 152 fotos tiradas pelo Sargento-Major Gilberto Diaz durante sua passagem de 14 meses na Coréia, ela foi aumentada por outras cinquenta fotos fornecidas por veteranos da Colômbia.

Gilberto Diaz Velasco, um veterano da Guerra da Coréia de 86 anos, mostra a câmera que usou para tirar cerca de 400 fotos durante sua estada de 14 meses na Coréia em uma entrevista em vídeo de sua casa em Bogotá.

"A câmera era meu melhor amigo na Coreia", disse Diaz, 86, a um grupo de jornalistas no início desta semana, em uma vídeo-chamada de sua casa em Bogotá. "Sempre estivemos juntos e mesmo agora faz parte da minha vida. Ainda funciona perfeitamente."

Diaz comprou sua câmera Kodak por 5 dólares em Tóquio e tirou cerca de 400 fotos, a maioria em cores, antes e depois de sua chegada a Incheon como um soldado de 18 anos em junho de 1952.

"Essas fotos nos lembram do valor precioso da liberdade", disse o ministro da Defesa sul-coreano, Jeong Kyeong-doo. "O nobre sacrifício e a dedicação dos veteranos colombianos permitiram que a Coréia do Sul mantivesse a paz. A República da Coréia se lembrará para sempre do sacrifício que seu país fez."

O General James Fleet, comandante do 8º Exército, condecora a bandeira do Batalhão Colombiano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário