terça-feira, 7 de dezembro de 2021

FOTO: Boinas Verdes com uniforme preto no Iraque

Boinas Verdes vestindo uniformes pretos ISOF enquanto destacados como uma CRF no Iraque, 2021.

Por Filipe do A. Monteiro, Warfare Blog, 7 de dezembro de 2021.

Boinas Verdes vestindo uniformes pretos das forças especiais iraquianas - ISOF - enquanto destacados como uma Força de Resposta à Crise (Crisis Response ForceCRF) no Iraque, 2021.

Foto postada no perfil Gunslinger Central (@gunslinger_central) do Instagram, uma página especializadas em fotos táticas, geralmente de forças especiais. A palavra Gunslinger é o equivalente em inglês de "pistoleiro".

Também apelidado como Força In-extremis do Comandante (Commander’s In-extremis ForceCIF), esses elementos boinas verdes foram projetados para "fornecer opções para resgatar pessoas sob ameaça, para recuperar materiais sensíveis, como armas de componentes de destruição em massa, para fornecer ajuda humanitária ou para lidar com outros requisitos sem aviso prévio". Apesar do portfolio glamoroso, as companhias CRF foram dissolvidas por serem caras e subutilizadas, não justificando o investimento em dinheiro e pessoal (que era necessário em outras funções).

As CRF eram um quadro de elite de boinas verdes que se especializavam em missões de Ação Direta (DA), Contraterrorismo (CT) e Resgate de Reféns (HR). Cada Grupo de Forças Especiais (1º, 3º, 5º, 7º e 10º) possuía uma companhia CRF, sendo estas consideradas reservas estratégicas de cada comando combatente em caso de emergência em todo o mundo. Após a redução, as forças especiais americanas mantiveram apenas uma pequena capacidade CRF.

Os boinas verdes do fiasco na Venezuela vinham de uma CRF, e o Warfare Blog tratou deste assunto aqui.

As operações especiais no Iraque são atualmente conduzidas por tropas montadas em Humvees blindados, possuindo cúpolas improvisadas, atuando como colunas móveis ao invés do sistema de incursões helitransportadas de antigamente; mais caras e não mais eficientes. Entre os operadores está um TERP, um intérprete iraquiano, facilmente identificável por ser barrigudo e não carregar um fuzil.

O terceiro homem à esquerda, visivelmente fora de forma, é um intérprete e carrega apenas uma pistola para sua proteção em caso de emergência.

Os vários fuzis AR-15 possuem variações personalizadas com guarda-mão e sistemas ópticos de gosto pessoal dos operadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário