segunda-feira, 13 de agosto de 2018

CHEYTAC M-200 INTERVETION. Nasce um mito no mercado de armas de precisão.

FICHA TECNICA
Tipo: Fuzil de precisão.
Calibre: .408 CheyTac e .375 CheyTac.
Miras: Primária luneta Nightforce NXS 5.5-22x56. Sistema de visão noturna AN/PVS-14 GEN III ou outros diversos modelo de lunetas com capacidade de visão noturna.
Capacidade: carregador destacável monofilar de 7 cartuchos.
Peso vazio: 14 kg (sem a luneta).
Comprimento: 1,34 m (coronha estendida).
Comprimento do cano: 29 polegadas.
Sistema de operação: Ação por ferrolho.

DESCRIÇÃO
Por Carlos Junior
O mercado de armas possui muitos fabricantes que, por sua vez, possui muitos modelos de armas. Quando tratamos de armas de tiros de precisão, ou fuzis para "sniper" ou fuzil de atiradores de elite, como a imprensa chama vulgarmente essas verdadeiras ferramentas de precisão que são essas armas, também existem uma grande variedade de modelos para diversas aplicações. As armas mais básicas, como os fuzis em calibre .308 Winchester (7,62X51 mm) possui boas condições para acertar com grande precisão, alvos que se encontrem a uma distancia de até 800 metros. Alguns fuzis customizados, peças ainda bastante melhoradas, conseguem elevar essa distancia até 1200 metros.
Acima: O grande fuzil semi-automático Barrett M-82A1 e seus derivados foram uma solução bastante popular para sniping de longo alcance.
Uma solução para aumentar o alcance desta classe de arma foi, inevitavelmente, procurar desenvolver armas com calibres mais potentes, e ai surgem os fuzis em calibre .50 (12,7X99 mm), originalmente desenvolvidos como fuzil anti-material para serem usados contra equipamentos militares inimigos como antenas de radar, veículos blindados, etc e agora sendo usados para "derrubar" inimigos distancias que excedem, em muito, o alcance dos fuzis de precisão usados anteriormente. O fuzil desse tipo mais comum (inclusive em uso nas forças armadas brasileiras, no caso o Exército Brasileiro  em seus grupos de operações especiais é o norte americano Barrett M82A1, calibre .50 e com um alcance de cerca de 1800 metros.

Acima: A CheyTac inovou ao desenvolver o M-200, uma nova arma e uma nova munição de alto desempenho para sniping. O resultado foi espetacular.
A CheyTac inovou nesse concorrido mercado ao projetar um fuzil que teria que ser relativamente leve, mas ter capacidade de atingir alvos além dos 2000 metros com precisão extrema. Para isso, a empresa decidiu, também, desenvolver uma nova munição que, junto com seu novo fuzil, conseguiria atingir esses requisitos de desempenho. Nasceu ai o poderoso calibre .408 CheyTac cujo diâmetro é pouco maior que 10 mm deixando esta munição com dimensões que ficam entre o calibre .50 (12,7X99 mm) e o .338 Lapua Magnum. O projétil .408 tem  peso 419 grains e atinge velocidade de 915 m/seg. A 700 metros de distancia, o projétil .408 tem mais energia que a de um pesado projétil .50 (12,7X99 mm) e ainda apresenta capacidade de perfuração superior ao do projétil .50 AP (armor Piercing ou "perfurante de blindagem"). Uma peculiaridade sobre o projétil 408 é que ele é sólido, em liga de cobre, não tendo chumbo em seu núcleo, como a maioria das tradicionais munições.
A energia que um impacto dessa munição fornece  é de incríveis 1157 kgf (sim, mais de uma tonelada de impacto). Para ter uma ideia o que significa essa verdadeira tijolada, vamos observar que o impacto de um tiro de 7,62X51 mm usado em muitos fuzis de assalto e de precisão tem a energia de 263 kgf. lembre-se que um impacto de 7,62X51 mm é cemitério na certa dado o nível de destruição que causa em um corpo humano. Imagine o que o 408 CheyTac faz então.
Acima: A munição 408 CheyTac é parte de todo um sistema desenvolvido pela fábrica da CheyTac para se conseguir um desempenho "premium" em termos de precisão e longo alcance.
Agora vamos tratar sobre a outra parte deste verdadeiro sistema integrado de tiro de precisão, o fuzil, propriamente dito. A CheyTac se baseou em um moderno anti-material fuzil M-96 projetado pela empresa EDM Arms Windrunner para desenvolver o fuzil M-200  Intervention. Assim,  arma usa um carregador monofilar destacável de 7 cartuchos de capacidade e opera pela ação de ferrolho manual. Ou seja, a cada disparo, o atirador deverá movimentar a alavanca do ferrolho para ejetar a cápsula deflagrada e colocar um novo cartucho na câmara. Esse tipo de sistema permite, em tese, maior precisão aos disparos uma vez que a arma possui menos partes  móveis dando maior estabilidade a arma embora, é claro, o poder de fogo de uma arma com este sistema seja menor. Porém, em um fuzil especializado em precisão, como o M-200, o que mais conta, efetivamente, é  a precisão extrema e nisso, a arma pode ser classificada como espetacular atingindo índices Sub MOA a distancias de 2270 metros com seu cano de 29 polegadas de comprimento equipado com um freio de boca de alto desempenho.

Acima: O fuzil M-200 Intervention calibre 408 CheyTac é uma arma de porte avantajado e que é considerado uma das mais eficazes armas de precisão do mundo, atualmente. O freio de boca no cano é extremamente efetivo, reduzindo em muito seu recuo, considerado bem mais fraco que o do potente .50 BMG (12,7X99 mm).
Como não podia deixar de ser, parte importantíssima de um sistema de tiro de precisão como o do fuzil M200 Intervention, é seu sistema de miras. A mira primária usada no M-200 é uma luneta Nightforce NXS 5.5-22X que pode ser integrada a um sistema de visão noturna AN/PVS-14. Compõe, ainda, este sistema, um PDA (Personal Digital Assistant), como um palmtop,  que recebe dados como velocidade do vento, pressão atmosférica e temperatura de um sensor Kestrel 4000. Como pode-se ver, o fuzil M-200 Intervention é uma ferramenta de precisão extrema, sendo, provavelmente, o máximo que se pode ter em perfeição com essa tecnologia. Outro ponto a ser destacado sobre a precisão da arma é sua ergonomia que deixa a o atirador em posição mais confortável para o disparo e nisso, a M-200 conta com o apoio de sua coronha totalmente regulável em alcance (telescópica). A arma pesa 14 kg, o que não dá para considera-la, uma arma leve, mas considerando o tamanho dela (1,34 m) e o calibre que ela emprega, esse valor é aceitável.
Acima: Sistema de visão noturna AN/PVS-14 integrado a luneta Nightforce NXS 5.5-22X. Acessórios caros, mas que contribuem muito para a precisão de todo o conjunto arma/ sistema de mira / atirador.
O CheyTac M-200 Intervention é, sem sobra e duvidas uma das melhores armas do mundo no seu tipo. Seu preço, porém, também faz jus a uma arma de elite: U$ 7500,00 dólares no mercado norte americano, sem nenhum acessório que, por sua vez, também agregariam mais uns 3000 a 5000 dólares ao valor da arma. Um fuzil AR-15 custa cerca de U$ 1000,00 dólares. Existe uma versão da M-200 de baixo custo chamada M-310 que tem coronha fixa McMillan que chaga a custa cerca de U$ 1500,00 a 2000,00 dólares a menos que a M-200.
A M-200 se presta a operar em missões contra sniper, devido ao fato de poder acertar um atirador inimigo longe do alcance da sua arma, uma tarefa que normalmente vemos sendo executadas por fuzis anti-material como o M-82A1/M107 da Barrett.
Acima: Esta foto dá uma boa ideia sobre as dimensões generosas do fuzil M-200. 
Acima: A coronha totalmente rebatida fornece melhores condições de transporte e ainda a condição para alojamento em sua maleta de transporte fornecido junto com a arma.
Acima: O sistema usado no M-200 é o de ferrolho, que exige o manejo manual a cada tiro da alavanca de ferrolho. Esse tipo de sistema permite em tese, disparos mais precisos.

ABAIXO TEMOS UM VÍDEO SOBRE A CHEYTAC M-200.

Você gosta de tecnologia militar? Fique por dentro das atuais e futuras armas que estão em combate no campo de batalha. Assine nossa newsletter na barra direita do site e nos sigam nas redes sociais também! InstagranFacebook, MeWe e Twiter. Compartilhe nas suas redes sociais e ajude o WARFARE crescer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário