Mostrando postagens com marcador Líbia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Líbia. Mostrar todas as postagens

sábado, 19 de setembro de 2020

Game Changer: A Rússia pode ter o sistema de defesa aérea S-400 na Líbia

Por H. I. Sutton, Aerospace & Defense, 6 de agosto de 2020.

Tradução Filipe do A. Monteiro, 19 de setembro de 2020.

Analistas de defesa estão tentando confirmar se a Rússia implantou um sistema de defesa aérea de última geração na Líbia. Imagens que circularam nas redes sociais parecem mostrar um grande radar e tubos de mísseis verticais perto de Ra's Lanuf, no leste do país. Este poderia ser o famoso S-300 ou o ainda mais potente sistema de mísseis S-400. Se for assim, pode ajudar a inclinar a balança a favor da Rússia e de seus aliados locais contra as forças apoiadas pela Turquia.

As imagens foram postadas online pela primeira vez pelo usuário do Twitter KRS Intl, que acompanha o conflito na Líbia. Elas foram tiradas nos últimos dias.

A partir dessas primeiras imagens, há um amplo consenso entre os analistas com quem conversei de que o radar se parece mais com o modelo russo 96L6E. Este é um radar de aquisição de alvos associado ao sistema de míssil superfície-ar (surface-to-air missile, SAM) S-300. Também é usado com o sistema S-400 Triumf ("Triunfo" em russo), mais novo e mais poderoso. A OTAN dá a esse radar o codinome Cheese Board (Tábua de Queijo).

Ao lado do radar está o que parece ser um míssil TEL (transporter erector launcher/ lançador eretor transportador). Os tubos do míssil estão na posição vertical, prontos para o lançamento. Podendo ser o S-300 ou S-400.

Esta imagem, tirada à distância de um veículo que passa, parece mostrar o sistema de mísseis de defesa aérea S-400 ou S-300.

Os mísseis estariam lá para proteger o envolvimento rapidamente crescente da Rússia no país. Eles já trouxeram para a companhia militar privada Wagner e jatos de combate. Mas eles e seus aliados enfrentam adversários competentes, incluindo as forças turcas. Os drones TB2 turcos obtiveram sucessos notáveis contra as defesas aéreas de fabricação russa. Mas o S-300 ou S-400 prejudicaria seriamente essas operações.

“Os russos sinalizaram discretamente que Sirte e Jufra são uma linha vermelha, embora não tenham ido tão longe quanto outros países em termos de declarações públicas”, conforme me disse Aaron Stein, diretor de pesquisa do Foreign Policy Research Institute, da Filadélfia. Stein não acha que a implantação de tais sistemas avançados de defesa aérea seria surpreendente. A Rússia implantou sistemas semelhantes, incluindo o S-400, para proteger seus ativos na Síria. “Eles parecem ter tirado uma página do seu manual da Síria, que é enviar um esquadrão misto e aumentar os recursos de defesa aérea no país. O S-300, se for real, junta-se ao sistema de curto alcance Pantsir S-1. Juntos, eles fariam a Turquia pensar duas vezes em testar essa linha vermelha".

Ironicamente, o sistema SAM S-400 é exatamente o que a Rússia vendeu à Turquia. Isso levou os EUA a cancelarem a venda de caças F-35 Lightning-II para a Turquia devido à preocupação de que a Rússia poderia usar os sensores do sistema SAM para extrair informações valiosas sobre as capacidades do F-35.

Então, como um novo sistema de mísseis pode ter chegado à Líbia? Um avião de carga superpesado voou da Rússia para a base aérea de Al Khadim em Al Marj em 3 de agosto. O enorme An-124 Ruslan, o equivalente russo do C-5 Galaxy, fez uma rota tortuosa que contornou a Turquia.

Rob Lee, um estudante de doutorado do King's College London que segue a política de defesa russa, acredita que o An-124 pode ser uma pista importante. “O An-124 é a única aeronave em serviço na Rússia que pode transportar todos os componentes dos S-300 e S-400. Em todos os casos recentes em que foram transportados pela Rússia, por exemplo, o S-400 para a Turquia e a Síria e o S-300 para a Síria, envolveram o An-124”.

Quando a Rússia entregou o sistema de mísseis S-400 à Turquia, usou a aeronave de carga pesada An-124 Ruslan. Aqui, as partes finais da segunda bateria S-400 chegam à base aérea de Murted em Ancara, Turquia, em 15 de setembro de 2019. (Foto do Ministério da Defesa Nacional turco / Agência Anadolu via Getty Images)

Os sistemas de mísseis recém-chegados podem mudar a situação no solo, especialmente se forem manejados por profissionais russos. Stein acha que a Rússia tira vantagem da ambigüidade de quem está tripulando o sistema. “Os russos gostam de jogar para que você nunca saiba quem está operando esses sistemas SAM. Portanto, você nunca se sente bem em matar um SAM se isso significar também matar russos. Especialmente quando eles têm um esquadrão misto que pode superar qualquer coisa que os turcos e seus aliados possam trazer para a festa rapidamente".

É possível, claro, que as fotos mostrem uma isca. A Rússia usa sistemas infláveis para confundir a inteligência militar. Todos os observadores com quem discuti isso concordam que pode ser isso que estamos vendo nas imagens. Mas, mesmo que sejam falsos, provavelmente apontam para a existência de um sistema real. Isso ocorre porque os infláveis são melhores como iscas para proteger um sistema real, não um ardil maior. Portanto, o que quer que estejamos olhando nessas fotos, isso sugere que o S-300 ou o S-400 estão no país.

Leitura recomendada:

Os condutores da estratégia russa16 de julho de 2020.

Dividendos da Diplomacia: Quem realmente controla o Grupo Wagner?22 de março de 2020.

Modernização dos tanques de batalha M60T do exército turco completos com sistema de proteção ativo incluído14 de julho de 2020.