quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

FOTO: Soldados Soviéticos nas ruínas do Reichstag

 

Soldados soviéticos posando em frente às ruínas do Reichstag ao final da Batalha de Berlim (16 de abril de 1945 - 2 de maio de 1945). Posando no meio dos oficiais está um garoto órfão "filho do regimento", adotado pela unidade. Esses garotos seriam inseridos na rotina da tropa, cumprindo as mesmas rotinas a ajudando em funções de apoio, como a entrega de mensagens, lavagem de roupas etc.

Por Filipe do A. Monteiro, Warfare Blog, 2 de dezembro de 2020.

O oficial, no centro, tem um quepe, enquanto os demais usam casquetes do modelo padrão soviético. Um dos militares tem uma ushanka e outro do lado direito tem uma papakha cossaca, em cor tipicamente preta. A parte de cima tem um X em branco cortando um fundo usualmente vermelho ou azul. As submetralhadoras demonstram o caráter extramente próximo do combate casa-a-casa da Batalha de Berlim.

O Reichstag foi assinalado pelo Stakva como o marco para a captura da capital nazista. Apesar de não ser mais usada para fins políticos desde o incêndio de falsa-bandeira de 1933, com o Reichskanzlei assumindo a sua função, o Reichstag serviu como uma âncora do sistema de defesa do quarteirão governamental de Berlim; setor Z (de Zitadelle, fortaleza em alemão), com um complexo de trincheiras e fortificações defensivas. O prédio serviu como um bastião formidável, resistindo à artilharia pesada soviética, e garantindo visão total sobre a Königsplatz, com o domínio de tiros amarrados em todas as avenidas de aproximação.


O Reichstag também foi defendido por um misto de unidades do Reich, fazendo parte do dispositivo mais amplo do setor Z, sob o comando do SS-Brigadeführer Wilhelm Mohnke, que formou o Kampfgruppe Mohnke, com cerca de 2 mil homens organizados em dois regimentos enfraquecidos.

O núcleo dessa defesa era composto pelos 800 homens do batalhão de guardas da 1. SS-Panzerdivision "Leibstandarte SS Adolf Hitler", que protegiam o próprio Führer, a guarda pessoal de Heinrich Himmler contando 600 homens da SS, 250 marinheiros da guarda de honra, grupos de velhos e crianças da Hitlerjugend Volksturm, uma companhia de 100 paraquedistas da 9ª Divisão Fallschirmjäger, e elementos da Divisão SS Nordland, formada por voluntários dinamarqueses e noruegueses, além de germânicos da Hungria, e que foi reforçada por um punhado de de 320-330 SS franceses da Divisão SS Charlemagne (Waffen-Grenadier-Brigade der SS "Charlemagne"que fora destruída na Pomerânia). Essa formação ainda contou com os regulares da 20ª Divisão de Infantaria e Divisão Panzer Müncheberg, com a reserva à cargo da 18. Panzergrenadier-Divisionposicionada no distrito central de Berlim.

As baixas soviéticas 30 de abril a 1º de maio foram de 154 mortos 312 feridos; mostrando a intensidade de apenas 2 dias de combate dentro e ao redor do enorme edifício do Reichstag. As baixas alemãs não são precisas, com várias centenas de mortos e feridos, além de quase de uma centena de prisioneiros capturados dentro do prédio.

Vídeo recomendado: O Assalto ao Reichstag


Bibliografia recomendada:

Berlim 1945:
A Queda.
Antony Beevor.

Leitura recomendada:

VÍDEO: Alemanha Ano Zero19 de maio de 2020.

Nenhum comentário:

Postar um comentário