sexta-feira, 15 de maio de 2020

Afeganistão retoma campanha ofensiva contra o Talibã

As forças de segurança afegãs partem depois que homens armados atacaram uma maternidade em Cabul.

Do Deutsche Welle, 12 de maio de 2020.
Tradução Filipe do A. Monteiro, 15 de maio de 2020.

Após uma onda de ataques em todo o país, o presidente anunciou a retomada das operações ofensivas contra grupos terroristas. Autoridades afegãs disseram que o Talibã e seus apoiadores "não pretendem buscar a paz".

O presidente afegão Ashraf Ghani anunciou na terça-feira [12/05] o fim do congelamento de operações ofensivas contra grupos militantes, após uma onda de ataques mortais em todo o país, incluindo uma maternidade na capital Cabul.

"Para garantir segurança a locais públicos e impedir ataques e ameaças do Talibã e de outros grupos terroristas, ordeno às forças de segurança afegãs que mudem de um modo de defesa ativo para um ofensivo e iniciem suas operações contra os inimigos," ele disse em um discurso televisionado.

Mais cedo na terça-feira, três homens armados invadiram uma clínica de maternidade na capital Cabul, matando 16 pessoas, incluindo dois bebês recém-nascidos e suas mães, segundo o Ministério do Interior afegão.

Mais de cem pessoas foram resgatadas quando os militantes se barricaram dentro do prédio e tentaram repelir as forças afegãs. O porta-voz do Ministério do Interior, Tareq Arian, descreveu o ataque como um "ato contra a humanidade e um crime de guerra".

Dia mortal em outros lugares

Dois outros ataques atingiram o Afeganistão na terça-feira.

Na província oriental de Nangarhar, um homem-bomba detonou explosivos em um funeral. Pelo menos 24 pessoas foram mortas, incluindo um político local, e 68 outras ficaram feridas. 

Na província de Farah, oeste, duas crianças foram mortas quando foram atingidas por um ataque de morteiro durante uma troca de tiros. Ninguém assumiu a responsabilidade pelos ataques de terça-feira. 

No entanto, os grupos militantes do Talibã e do "Estado Islâmico" atacam regularmente alvos militares e civis.

"Violência sem sentido"

Os ataques ocorreram logo após as negociações entre o governo afegão e o Talibã para acabar com o conflito de longa data. Os EUA e o Talibã já concordaram com uma fase inicial em direção à paz. No entanto, não está claro como as últimas operações do grupo militante afetarão o processo.

O assessor de segurança nacional afegão Hamdullah Mohib alertou que a mais recente série de ataques "mostra a nós e ao mundo que o Talibã e seus patrocinadores não pretendem e não pretendiam buscar a paz".

"O governo afegão e nossos parceiros internacionais têm a responsabilidade de responsabilizar o Talibã e seus patrocinadores, disse Mohib em um tweet. "A razão para buscar a paz é acabar com essa violência sem sentido. Isso não é paz, nem seu começo".


"EUA condena ataques terríveis"

Em resposta, o Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, exortou o governo afegão e o Talibã a tomar medidas para pôr um fim aos ataques.

"Os Estados Unidos condenam com força os dois ataques terríveis no Afeganistão", afirmou Pompeo em comunicado.

"Observamos que o Talibã negou qualquer responsabilidade e condenou os dois ataques como hediondos", dizia o comunicado. "O Talibã e o governo afegão devem cooperar para levar os autores à justiça".

Pompeo também foi ao Twitter para pedir cooperação no Afeganistão.


Ele twittou: "O povo afegão merece um futuro livre desses atos flagrantes do mal e deve se unir para construir uma frente unida contra a ameaça do terrorismo".

Original: https://www.dw.com/en/afghanistan-resumes-offensive-campaign-against-taliban/a-53418305?utm_referrer=https%3A%2F%2Fzen.yandex.com

Leitura recomendada:


Como a guerra boa se tornou ruim24 de fevereiro de 2020.

Cinco coisas a saber sobre o emergente acordo de paz entre EUA e Talibã24 de fevereiro de 2020.

EUA e Talibã assinam acordo que visa acabar com a guerra no Afeganistão29 de fevereiro de 2020.

O cessar-fogo entre EUA e Talibã começará em 22 de fevereiro18 de fevereiro de 2020.

Aliados, inimigos, ou apenas inúteis? Um operador das forças especiais sobre trabalhar com as SOF afegãs15 de fevereiro de 2020.

Nenhum comentário:

Postar um comentário