sábado, 9 de maio de 2020

GALERIA: FN49 do contrato egípcio


Por FredGuns & Coffe, 16 de dezembro de 2011.
Tradução Filipe do A. Monteiro, 9 de maio de 2020.


O colaborador do G&C, o camarada de estande, e o cara legal Cro adquiriu um FN49 do contrato egípcio e teve a gentileza de confiar em mim com ele por uma semana ou mais para tirar algumas fotos. 

É realmente uma arma linda.


O ajuste e o acabamento deste exemplar são muito bons, com algum desgaste na oxidação negra presente, porém nenhuma ferrugem ou corrosão alveolar que eu tenha notado.

O FN-49 começou a vida pouco antes da Segunda Guerra Mundial, e o projetista, Dieudonné Saive, fugiu para a Inglaterra quando os nazistas invadiram a Bélgica. Saive levou os planos com ele para impedir que caíssem nas mãos dos alemães, e terminou o projeto depois que a Bélgica foi libertada e a FN se reergueu.

O fuzil é um fuzil de batalha semi-automático a gás, com uma haste de operação longa e o sistema é ajustável para compensar cargas variáveis. O fuzil foi originalmente calibrado em Mauser 7x57mm e foi produzido em 30-06, 7,65x53mm argentino e 8mm Mauser (como mostrado neste artigo).


A desmontagem é bastante simples, e o fuzil pode ser desmontado em campo sem o uso de ferramentas (é necessária uma pequena chave de fenda para remover o guarda-mão, como mostrado abaixo).

"Fábrica Nacional de Armas de Guerra - Herstal - Bélgica."

O registro de segurança é interessante, pelo menos para Cro e eu, pois ele desliza em uma ranhura usinada na lateral do próprio gatilho. O carregador é um carregador fixo de 10 tiros tipo cofre, os reténs de alimentação são usinados no receptor (caixa da culatra) e não no carregador.

Visão da câmara.

Sendo um fuzil do contrato egípcio, muitas das marcações estão em árabe, incluindo o número de série e as marcações de alcance no conjunto da alça mira.



No estande, o fuzil manuseia bem. Ele equilibra onde um fuzil deve, e é elegante fazendo-o.

O recuo não é tão ruim quanto eu esperava, sem dúvida devido à longa haste de operação e ao sistema ser ajustado para a munição específica que estávamos atirando (excedente romeno). Estava um pouco nublado e a fumaça persistia.

Disparei alguns grupos do banco para sentir a precisão...

...mas rapidamente percebemos que precisávamos recuar para 50 jardas para descobrir para onde os tiros estavam indo. Depois de passar para o alcance mais curto, descobrimos que o fuzil estava disparando cerca de um pé abaixo a 50 jardas em sua configuração mais baixa e um pouco à esquerda. Ajustamos um pouco o vento, aumentamos a alça de mira alguns degraus para trás e voltamos para 100.


Não é o grupo mais bonito, e ainda conseguimos deslizar entre as duas folhas, mas é bem típico do que estávamos conseguindo a maior parte do dia.

Estou certo de que a arma é capaz de grupos muito melhores com a munição certa, um zero melhor e melhores condições de alcance. Acho que da próxima vez algum tempo de aquecimento no dia 22/10 e um pouco menos de café (heresia!!!) podem ser necessários.

Em suma, eu diria que é uma boa adição à coleção de Cro.

Original: http://gunscoffee.blogspot.com/2011/12/egyptian-contract-fn-49.html

Leitura recomendada:

O Fuzil FN 49 - Uma Breve Visão Geral30 de março de 2020.


Nenhum comentário:

Postar um comentário