sexta-feira, 9 de abril de 2021

GALERIA: Motoristas de ambulância voluntárias em Rivoli

Enfermeira motorista prepara uma maca, Rivoli, Argélia, outubro de 1943.

Por Filipe do A. Monteiro, Warfare Blog, 9 de abril de 2021.

Instaladas em um acampamento em Rivoli, a sudeste de Mostaganem, na Argélia, as motoristas voluntárias da 531ª Companhia de Transporte Médico (531e Compagnie Sanitaire de Transport, 531e CST) cuidam de suas ocupações. Algumas estão se preparando para a partida em uma missão, outros, retornando de sua missão, estão ocupadas fazendo a manutenção de seus veículos, ambulâncias Dodge WC 54 (lubrificação, enchimento de pneus, troca de rodas, reabastecimento de combustível). Seu cotidiano é ilustrado por refeições, confecção de roupas e descanso.

Seu recrutamento é principalmente feminino. As voluntárias, apelidadas de "chaufferettes", além da formação como motorista, receberam formação médica sancionada com a concessão de diploma de ambulância que os autoriza a usar a insígnia da Cruz Vermelha. O símbolo da unidade é um Pato Donald representado como um socorrista para marcar a missão de saúde. A companhia é composta por quatro seções de 20 ambulâncias Dodge e comandada pelo Capitão Abdon Monsang.

Criada em fevereiro de 1943 na região de Orã, a companhia dependia do 27º Esquadrão de Logística (27e escadron du Train) e combatia dentro da CEF (Corpo Expedicionário Francês) então do 1º Exército, e serviria na campanha da Itália. As motoristas-enfermeiras seriam apelidadas de "Rochambettes" e de "Marinettes" (caso fossem da marinha).

Distintivo da 531e CST com o Pato Donald.

Duas voluntárias com suas bonecas mascotes.

Vista geral do acampamento da 531ª em Rivoli, na Argélia, outubro de 1943.
As ambulâncias Dodge WC 54 estão organizados em ordem de saída para um exercício noturno. Esse tipo de ambulância, a mais utilizada em todo o conflito, pode transportar quatro feridos deitados em macas ou seis sentados.

Uma motorista voluntária garante a manutenção dos veículos.

Posando e com graxa no rosto, uma motorista se limpa com ajuda do retrovisor após uma sessão de lubrificação do veículo. Na porta da ambulância está a insígnia da companhia, um Pato Donald socorrista.

Duas motoristas voluntárias conduzem a manutenção das ambulâncias.

Duas voluntárias ao volante após um exercício. Os capacetes M26 Adrian possuem a insígnia das tropas coloniais, contendo uma âncora.

“Enquanto uma equipe da companhia de transporte médico se prepara para o exercício e carrega as macas da ambulância, os camaradas do acantonamento tricotam, remendam”, diz a legenda original. No quintal de uma fazenda perto de Rivoli, a sudeste de Mostaganem, outras motoristas penduram roupas ou preparam seus equipamentos com seus colegas homens. Na entrada da fazenda, está pintada a insígnia do 28e du Train, esquadrão de Orã.

Uma motorista da 531ª Companhia de Transporte Médico realiza "a tarefa de reabastecer antes da manobra". Ela está vestida com as uniformes de combate regulamentares: casquete (boné de polícia) americano com cruz de metal vermelha, camisa de sarja com gravata cáqui, braçadeira com cruz vermelha e insígnia de motorista em feltro preto passando pela abertura do ombro esquerdo, calças de malha, polainas de lona e borzeguins.

Uma motorista voluntária da 531ª Companhia de Transporte Médico dirigindo uma ambulância Dodge. No painel, o mascote da companhia.

Bibliografia recomendada:

Nenhum comentário:

Postar um comentário