segunda-feira, 26 de abril de 2021

VÍDEO: Fuzil PM md. 63, o AKM romeno


Por Filipe do A. Monteiro, Warfare Blog, 25 de abril de 2021.

Vídeos de demonstração da Ashley McMillion com o fuzil de assalto PM md. 63 romeno. Os entusiastas Justin e Ashley McMillion são os donos da loja americana JMac Customs LLC, e são personagens costumeiros das mídias de entusiastas de armamentos. Eles costumam resenhar armamentos ou apenas participarem das brincadeiras usuais da comunidade internacional de amantes das armas. Eles são ativos no Youtube e no Instagram.


O fuzil Pistol Mitralieră 1963 (abreviado PM md. 63 ou simplesmente md. 63) é um fuzil de assalto romeno calibre 7,62x39mm, projetado com base no AKM soviético. O md. 63 é exportado sob a designação AIM.

No início dos anos 1960, o exército romeno usava principalmente submetralhadoras PPSh-41 e Oriţa, e fuzis AK-47 importados. Com o desenvolvimento do receptor AKM Tipo 4 estampado e o apelo da União Soviética a cada uma das nações do Pacto de Varsóvia para que produzissem seus próprios fuzis de assalto calibrados em 7,62 mm, fossem eles do padrão AK-47 ou não, o Arsenal Estadual Romeno desenvolveu um clone do AKM com uma empunhadura frontal inclinada para a frente moldado no guarda-mão, chamado de Pistol Mitralieră model 63 (literalmente "pistola-metralhadora modelo 1963").

A versão de coronha dobrável é designada Pistol Mitralieră model 65 e apresenta uma empunhadura frontal voltada para trás, permitindo que a coronha seja dobrada para baixo completamente retraída.


A variante civil de exportação mais produzida deste fuzil é aquela da designação "Gardă", produzida para a Guarda Patriótica romena (Gărzile Patriotice). Esses fuzis têm uma letra "G" gravada no lado esquerdo do bloco da alça de mira. As versões da guarda civil são modificadas pela remoção da armadilha e modificação da chave seccionadora para ser apenas semiautomática. Dezenas de milhares desses fuzis foram importados para os Estados Unidos e vendidos como "kits de peças" (o receptor é destruído pelo corte de tocha de acordo com os regulamentos da BATF - sem o receptor, o kit não é mais considerado legalmente uma arma de fogo). Eles são coloquialmente conhecidos entre os entusiastas de armas de fogo como "Romy G's".

O Pistol Mitralieră model 1980 é uma variante AK de cano curto e a primeira versão de coronha dobrável lateralmente produzida na Romênia. Ele apresentava um bloco de gás mais curto e geralmente usava carregadores de 20 tiros. O poste da alça de mira é combinado com o bloco de gás para fornecer um comprimento geral curto. A dobragem lateral é reta e dobra para a esquerda. Existem dois tipos de freios de boca usados: um cilíndrico e, mais comumente, um ligeiramente cônico. Ele também é conhecido como AIMR.


O Pistol Mitralieră model 90, também conhecido como PM md 90, é a resposta de 7,62 mm ao modelo Pușcă Automată 1986 de 5,45 mm. É internamente idêntico a um PM md. 63/65, e externamente difere por ter uma coronha dobrável de arame idêntico àquela do PA md. 86, e com o qual todos os fuzis são equipados com freios inclinados. Foi amplamente utilizado na Revolução Romena de 1989, juntamente com o md. 63 e md. 65.

A versão fuzil-metralhador do md. 63 é chamado de md. 64, sendo essencialmente idêntico ao RPK soviético. A versão carabina do modelo 90, chamada simplesmente de PM md. 90 cu țeavă scurtă (cano curto PM md. 90), tem um cano de 305mm, um comprimento total de 805mm (ou 605mm com a coronha dobrada) e pesa 3,1kg vazio. Ele foi projetado para tripulações de tanques e forças especiais. Além da coronha e do cano encurtados, ela apresenta as mesmas modificações do PM md. 80.


Bibliografia recomendada:


Leitura recomendada:

Nenhum comentário:

Postar um comentário