terça-feira, 14 de julho de 2020

O Exército Britânico se desfaz de um legado da guerra no Afeganistão: caminhões à prova de explosão

O então primeiro-ministro britânico David Cameron (centro) conversa com soldados em frente a veículos blindados Mastiff em Camp Bastion, nos arredores de Lashkar Gah, na província de Helmand, Afeganistão, em 20 de dezembro de 2012. Em julho de 2020, o Exército anunciou planos de vender ou de outra forma se desfazer de muitos dos caminhões à prova de explosão comprados para aquela guerra. (Stefan Wermuth / AFP via Getty Images)

Por Andrew Chuter, Defense News, 13 de julho de 2020.
Tradução Filipe do A. Monteiro, 14 de julho de 2020.

LONDRES - Quase 750 veículos blindados comprados pelo Ministério da Defesa (MoD) britânico para combater a ameaça de bombas nas estradas no Afeganistão estão sendo retirados da estrutura de forças do Exército.

As frotas blindadas Mastiff, Ridgeback e Wolfhound devem ser aposentadas na última diminuição de veículos sob o Plano de Otimização da Frota do Ambiente Terrestre (Land Environment Fleet Optimisation PlanLEFOP) pelo Exército Britânico, o ministro de aquisições do Ministério da Defesa, Jeremy [Quin], legislou este mês.

O plano inclui a exclusão completa de algumas frotas e a redução no tamanho de outras, conforme o número de veículos é ajustado ao tamanho certo para refletir as necessidades do Exército Britânico.

Cerca de 733 dos veículos construídos pelo fabricante norte-americano Force Protection, posteriormente adquiridos pela General Dynamics, farão a última seleção de veículos específicos de contra-insurgência comprados pelos britânicos para fornecer melhor proteção às tropas contra dispositivos explosivos improvisados (improvised explosive devices, IED).

"O Exército [Britânico] continua a racionalizar suas frotas de veículos herdados, trabalho iniciado em 2017 sob o Plano de Otimização da Frota do Ambiente Terrestre. Este trabalho já removeu 2.831 veículos de serviço e descartou várias frotas de veículos herdadas. A próxima vertente deste trabalho procura remover vários outros tipos de veículos herdados de serviço, incluindo o descarte das frotas Mastiff, Ridgeback e Wolfhound", Quin disse em uma resposta escrita em 2 de julho a uma pergunta feita por um legislador.

Os veículos serão descartados, possivelmente por vendas a departamentos de defesa estrangeiros, nos próximos anos.

Os britânicos compraram milhares de veículos blindados, principalmente sob seu esquema de compras rápidas e urgentes para atender necessidades urgentes, para melhorar a proteção das operações de patrulha e logística.

Com o final da campanha de combate afegã da Grã-Bretanha em 2014, os veículos foram amplamente levados para o programa nuclear de equipamentos do Exército.

Em parte, era para garantir que o Exército tivesse a capacidade de responder a possíveis operações futuras de estabilização, mas também porque os britânicos prevaricaram por tanto tempo a compra de veículos blindados 8x8 e outros programas que estavam com falta de capacidade.

Agora, um exército britânico esbelto encontra-se com mais veículos do que sua estrutura de força exige.

Alguns dos veículos retirados de serviço serão substituídos por um número reduzido de plataformas digitais melhores e modernas, tais como a Boxer, que possui maior utilidade e proteção aprimorada.

A Grã-Bretanha comprou 500 Artec Boxer 8x8 com os primeiros veículos previstos para chegar às unidades do Exército em 2023.

O mais alto soldado da Grã-Bretanha, o General Sir Carter, Chefe do Estado-Maior da Defesa, foi questionado pelo Comitê Parlamentar de Defesa em 7 de julho sobre se as frotas contra-IED tinham futuro.

A resposta dele? Depende da sua visão do mundo, do dinheiro e do que diz a próxima revisão de defesa integrada do governo.

"É uma questão de como você vê o mundo no futuro. Se você acha inconcebível que haja uma operação de estabilização em algum lugar do mundo, esses recursos podem ser empurrados para um lado. A questão, é claro, é se você restringe-se para uma operação de estabilização no futuro e se você sente que precisa de plataformas que sejam plataformas baseadas em contra-IED. É necessário fazer um julgamento no decorrer da revisão integrada sobre se você deseja ou não continuar gastando dinheiro para mantê-los ativas", Carter disse ao comitê.

Em parte, esse julgamento já está ocorrendo sem a ajuda de uma revisão com maior probabilidade de atingir, em vez de melhorar, o orçamento já sob pressão do MoD.

Há rumores de que outras reduções no número de militares sejam uma das opções consideradas pela revisão liderada pelo primeiro-ministro Boris Johnson e seu consultor especial Dominic Cummins.

Os veículos de limpeza de munições pesadas Buffalo, o sistema contra-IED Talisman e os veículos de patrulha Vixen já foram retirados de serviço, enquanto o veículo de apoio protegido Husky construído pela Navistar Defense e duas versões de Land Rovers armados estão em processo de remoção.

Nem todas as reduções de veículos estão relacionadas a compras para missões no Afeganistão e no Iraque. Centenas de caminhões MAN SV 6T, um punhado de veículos de engenharia de combate sobre lagartas BAE Systems Terrier e vários veículos de patrulha protegidos Iveco Panther estão entre outros tipos de veículos que devem ser reduzidos em número como parte do plano do Exército.

Original: https://www.defensenews.com/global/europe/2020/07/13/british-army-sheds-an-afghan-war-legacy-blast-proof-trucks/

Bibliografia recomendada:



Leitura recomendada:

Modernização dos tanques de batalha M60T do exército turco completos com sistema de proteção ativo incluído, 14 de julho de 2020.

A luta da Turquia na Síria mostrou falhas nos tanques alemães Leopard 226 de janeiro de 2020.

GALERIA: Aprimoramentos de blindagem na Guarda Republicana Síria, 26 de junho de 2020.

Leclerc operacional com mais blindagem no Exército dos Emirados Árabes Unidos11 de junho de 2020.

O tanque britânico Streetfighter II tem visão de raios X e tem tudo a ver com a luta urbana14 de maio de 2020.

Nenhum comentário:

Postar um comentário