quinta-feira, 9 de julho de 2020

As IDF criam comitê para pesar medalha para as tropas que lutaram no sul do Líbano

Veículos das IDF atravessam a ponte Awali conforme saem do Líbano no primeiro dia de uma retirada planejada em 16 de fevereiro de 1985. (Yossi Zamir/Flash90)

Do jornal The Times of Israel, 7 de julho de 2020.
Tradução Filipe do A. Monteiro, 9 de julho de 2020.

O painel considerará se deve conceder reconhecimento oficial à presença militar de 18 anos de Israel no país e, se o fizer, como nomear a campanha.

O chefe do Estado-Maior das Forças de Defesa de Israel, Aviv Kohavi, nomeou um comitê para considerar a possibilidade de criar uma medalha de campanha para israelenses que lutaram no sul do Líbano nos anos que se seguiram à guerra de 1982, disseram as forças armadas na terça-feira.


O ex-ministro da defesa Naftali Bennett no Líbano quando ele atuou como oficial na unidade de reconhecimento de elite Maglan na década de 1990. (Naftali Bennett)

Embora as IDF tenham criado uma medalha de campanha para aqueles que participaram da Primeira Guerra do Líbano, atualmente não há fita para quem serviu no sul do Líbano desde o final de 1982 até a retirada de Israel em maio de 2000.


Tropas israelenses em combate urbano no sul do Líbano, 1982.

De acordo com um comunicado das IDF, o comitê será chefiado pelo tenente-general (reformado) Shaul Mofaz, que foi chefe de gabinete de 1998 a 2002 e supervisionou os últimos anos das forças armadas no sul do Líbano. O comitê também será composto por vários outros oficiais superiores do serviço ativo e da reserva.

"Se o comitê achar que é correto conceder uma medalha de campanha, ele também considerará os seguintes problemas: dar um nome à campanha, o período de qualificação para receber a medalha e outros critérios de elegibilidade", afirmou o comunicado.


Soldados israelenses abrindo um portão para tanques durante a retirada das FDI do Líbano, em 22 de junho de 2000. (Flash90)

O comitê deve apresentar uma recomendação [ao Tenente-General Aviv] Kohavi e ao ministro da Defesa Benny Gantz nos próximos meses.

A decisão de formar o comitê ocorre um mês e meio depois que Israel marcou o vigésimo aniversário das últimas tropas de IDF se retirando do sul do Líbano.



Estima-se que 675 soldados foram mortos durante a ocupação de Israel no sul do Líbano. O período foi abordado no recente documentário televisivo "War with No Name" ("Guerra sem nome"), em homenagem à falta de reconhecimento oficial pela presença de 18 anos de Israel no sul do Líbano.

Bibliografia recomendada:



Leitura recomendada:

Israel provavelmente enfrentará guerra em 2020, alerta think tank1º de março de 2020.

Aaron Cohen: Soldado, Ator, Escritor, Espião6 de abril de 2020.

Sayeret Duvdevan - Krav Magá17 de abril de 2020.

GALERIA: O primeiro desfile militar das Forças de Defesa de Israel5 de março de 2020.

FOTO: Reservista Israelense de 77 anos em Gaza31 de março de 2020.

VÍDEO: Macacos de Lotar17 de abril de 2020.

GALERIA: Reencenação do salto no Passo de Mitla31 de março de 2020.

Nenhum comentário:

Postar um comentário