domingo, 5 de julho de 2020

GALERIA: A Guarda Presidencial Emirática no MCAGCC


Exercício de morteiro e infantaria de três semanas do Batalhão de Apoio de Brigada, da Guarda Presidencial dos Emirados Árabes Unidos (EAU), o campo de treinamento Range 410, Marine Corps Air Ground Combat Center (Centro de Combate Aeroterrestre do Corpo de Fuzileiros Navais, MCAGCC), Twentynine Palms, Califórnia, 16 de setembro de 2019. Fotos do Lance Cpl. Shane T. Beaubien, Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA (USMC).


O Tenente-General Mike Hindmarsh, comandante da Guarda Presidencial, cumprimenta o Batalhão de Apoio de Brigada.

A Guarda Presidencial dos Emirados Árabes Unidos (UAE Presidential Guard, UAE-PG) foi formada em 2011 pela fusão da Guarda Amiri, do Comando de Operações Especiais e do Batalhão de Fuzileiros Navais da Marinha dos EAU. Os Emirados pediram apoio de treinamento fornecido pelo Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA (USMC). 


USMC Lance Cpl. Patrick D. Boger, Companhia I, 3º Batalhão do 4º Regimento de Fuzileiros Navais (3/4), orienta soldados do Batalhão de Apoio de Brigada, Guarda Presidencial (UAE-PG), na operação de morteiros.

O Departamento de Estado dos EUA aprovou uma venda militar estrangeira (foreign military sales, FMS) Caso de Treinamento para a UAE-PG (Training Case for UAE-PGem outubro de 2011. A Missão de Treinamento do Corpo de Fuzileiros Navais dos Emirados Árabes Unidos (Marine Corps Training Mission UAEMCTM-EAU) opera sob o chefe da autoridade da missão como um caso de treinamento do Título 22 FMS (Title 22 FMS training case).

Enquanto as forças armadas dos EAU não têm mais uma unidade de fuzileiros navais, o USMC designou a EAU-PG como sua força congênere. A Guarda Presidencial é designada como a elite e a força mais especializada das forças armadas dos Emirados Árabes Unidos, serviu no Afeganistão e no Iêmen, e é comandada pelo conselheiro australiano Mike Hindmarsh.


O General Hindmarsh assumiu o comando da EAU-PG após 33 anos de serviço no Exército Australiano.

A monarquia constitucional soberana dos Emirados Árabes Unidos é uma federação de sete emirados criada em dezembro de 1972, composta pelos emirados dos Estados Truciais de Abu Dhabi (que serve como capital), Ajman, Dubai, Fujairah, Sharjah, Umm Al Quwain e Ras Al Khaimah (unido em 1972). Seus limites são complexos, com numerosos enclaves nos vários emirados. Cada emirado é governado por um emir próprio; juntos, eles formam o Conselho Supremo Federal. Um dos governantes atua como presidente dos Emirados Árabes Unidos, atualmente o Khalifa Al Nahyan (Xeique Khalifa), o emir de Abu Dhabi. Em 2014, o Xeique Khalifa sofreu um derrame e o controle atual cabe ao seu meio irmão, o Xeique Mohammed bin Zayed Al Nahyan, príncipe-herdeiro de Abu Dhabi.

Os seus aliados americanos apelidaram os EAU como "A Pequena Esparta do Golfo".


Soldado emirático executando a limpeza do tubo do morteiro M224.

Granada 60mm do morteiro M224.


Carregamento do morteiro M224.

Disparo do morteiro M224.

Soldado emirático.


Militares emiráticos planejando o ataque de pelotão realizado ao final das três semanas de treinamento.


Militares emiráticos planejando o exercício de coroamento em uma maquete do terreno.


Soldados emiráticos e fuzileiros navais americanos (incluindo um marinheiro-enfermeiro) posam em Camp Spartan, no MCAGCC, após três semanas de treinamento, culminando num ataque de pelotão final.

Bibliografia recomendada:






Leitura recomendada:

A Esparta no Golfo: a crescente influência regional dos Emirados Árabes Unidos2 de fevereiro de 2020.

À Oeste de Suez para os Emirados Árabes Unidos19 de maio de 2020.

Como os Emirados Árabes Unidos exercem poder no Iêmen22 de fevereiro de 2020.

As grandes ambições da Pequena Esparta: as Forças Armadas Emiráticas atingem a maioridade3 de julho de 2020.

Nenhum comentário:

Postar um comentário