sexta-feira, 16 de outubro de 2020

GALERIA: Retomada do rochedo de Ninh-Binh pelos Tirailleurs Argelinos

Os soldados do 2e BM/1er RTA avançam em direção ao rochedo de Ninh-Binh, no Tonquim em maio de 1951.

Por Filipe do A. Monteiro, Warfare Blog, 16 de outubro de 2020.

Após a captura do rochedo de Ninh-Binh pelas tropas Viêt-Minh durante a ofensiva no Rio Vermelho (Rio Day), o General de Lattre de Tassigny ordenou aos tirailleurs argelinos que contra-atacassem; o que eles fizeram apoiados por morteiros leves. Durante a progressão para o rochedo, os homens assumiram posições e protegeram-se mutuamente por fogo e movimento ao atravessar o arame farpado.

O rochedo foi retomado pelo 2e BM/1er RTA (2e bataillon de Marche du 1er Régiment de Tirailleurs Algériens/ 2º Batalhão de Marcha do 1º Regimento de Tirailleurs Argelinos). Um tenente, seguido por sua seção, chegou ao local onde descobriria o corpo do Tenente de Lattre, filho do General de Lattre de Tassigny. Os últimos defensores se renderam quando a bandeira francesa foi hasteada no topo do pico rochoso.

Um campo de pouso foi montado para o helicóptero médico Hiller H-23. Os tirailleurs também recuperam o corpo do Tenente Bernard de Lattre, filho do general comandante das forças na Indochina, para evitar que caísse nas mãos do inimigo, que o poderia usar para fins de propaganda.

A unidade ali se manteve apesar de vários ataques noturnos do Viêt-Minh e irradiou na zona durante um mês e meio, infligindo graves perdas ao adversário, ao custo de cerca de cinquenta mortos e feridos. Uma vez substituído, o 2e BM/1er RTA retornou a Hanói para desfilar ali no 14 de julho de 1951.

Um tirailleur da 5ª companhia do 2e BM/1er RTA observa com binóculos o delta do Rio Vermelho de um dos rochedos de Ninh-Binh. 

Os tirailleurs se lançam em direção ao rochedo em lances sucessivos por fogo e movimento.

Um tirailleur fornece apoio de fogo com o fuzil-metralhador Châtellerault 24/29.

Um segundo-tenente seguido por sua seção avança com cautela no local retomado das tropas Viêt-Minh, eles vão descobrir o corpo do Tenente Bernard de Lattre de Tassigny, filho do general.

Um quadro da 5ª companhia aproxima-se da entrada com cuidado em uma entrada das muitas cavernas que trufam o local. É em uma delas que a seção do Segundo Tenente Lempereur encontrará o corpo do Tenente Bernard de Lattre de Tassigny, ali escondido para que não caísse nas mãos do inimigo.

Os escaramuçadores da 5ª companhia sobem ao topo de um dos rochedos. Os postos chamados de "rochedo" e "pequeno rochedo" serão tomados em três minutos. O Viêt-Minh, surpreendido com a forte reação francesa, perdeu ali uma centena de mortos e quinze prisioneiros, 101 fuzis, 26 submetralhadoras, 3 morteiros, 6 fuzis-metralhadores e uma metralhadora.

Os "Turcos" (apelido tradicional dos tirailleurs argelinos) do 2e BM/1er RTA avançam sob cobertura durante o contra-ataque a Ninh-Binh. À frente, um soldado armado com um fuzil MAS 36.

Em meio aos tiraulles está o Tenente Marengo, ao comando da 5ª companhia, e identificável graças à bengala que os seus soldados apelidaram de "mansuétude" e da qual nunca se separada. Em 14 de julho de 1951 em Hanói, ele foi premiado com uma citação à Ordem do Exército pelo General de Lattre de Tassigny.

Os últimos defensores Viêt-Minh no rochedo de Ninh-Binh são capturados pelos tirailleurs do 2e BM/1er RTA.

Bibliografia recomendada:


Leitura recomendada:


Nenhum comentário:

Postar um comentário