domingo, 26 de janeiro de 2020

Por que a China tem quase 7.000 tanques?


Por David Axe, The National Interest, 21 de janeiro de 2020.
Tradução Filipe do A. Monteiro, 26 de janeiro de 2020.

Eles não são lá todos bons entretanto.

Ponto-Chave: Pequim tem muitos tanques para defender seu vasto território. No entanto, nem todos os seus blindados são modernos ou estão prontos para uma luta.

Em 2019, os exércitos dos EUA e da Rússia introduziram novas versões de seu tanque principal de batalha (main battle tank, MBT), ajudando a aprimorar o que é amplamente visto como as principais forças blindadas do mundo.

Mas a China, não os Estados Unidos ou a Rússia, possui a maior força de tanques do planeta, somando juntos colossais 6.900 tanques.

Em contraste, os exércitos americanos e russos precisam de pouco menos de 2.000 tanques para equipar totalmente todas as unidades blindadas de linha de frente, embora, para ser justo, ambos exércitos também mantenham milhares de tanques adicionais em reserva.


Tipo 59.

Atualmente, tanques velhos e obsoletos representam aproximadamente metade do estoque chinês. Mas a mistura de tanques no Exército Popular de Libertação está mudando rapidamente à medida que Pequim desenvolve novos modelos e os compra a granel.

O que não quer dizer que o PLA saiba como usar todos esses novos veículos. Quando se trata de tanques, a doutrina da China fica atrás de seus equipamentos.

"Embora a Rússia e os Estados Unidos mantenham um número substancial de tanques principais de batalha, o Exército de Libertação Popular da China atualmente possui a maior frota de tanques de serviço ativo do mundo", explicou em 2018 o Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (International Institute for Strategic StudiesIISS) de Londres.

“O volume e o custo envolvidos na produção de projetos de tanques modernos suficientes para equiparem essa força, no entanto, provaram ser um desafio significativo para o PLA, e somente recentemente a porcentagem da força de tanques assim equipada aumentou acima de 50%.”

O PLA possui cinco modelos principais de tanques.


Tipo 59-II.

O Tipo 59 é um T-54 russo fabricado sob licença que a China produziu de 1958 a 1978. O Tipo 59 possui um cano de alma lisa de 100 milímetros ou canhão raiado de 105 milímetros e blindagem de aço. Os Tipo 59 respondem por cerca de 2.900 dos 6.900 tanques ativos da China.

Esses tanques mais antigos são "efetivamente obsoletos", de acordo com o IISS. É improvável que eles desempenhem um papel significativo em um conflito de alta intensidade.

O Tipo 79, produzido pela China no final da década de 1970 e no início da década de 1980, possui uma arma de 105mm e uma blindagem de aço. O semelhante Tipo 88, em produção no final dos anos 80 e 90, acrescenta uma mira estabilizada.


Tipo 79, derivado do Tipo 59 adicionando tecnologias do T-62 soviético.

Existem cerca de 500 Tipo 79 e Tipo 88 no serviço do PLA. A IISS afirmou que os Tipos 79 e 88 equipam apenas algumas unidades nas regiões montanhosas do norte e oeste da China.

O Tipo 96, em produção de 1997 a 2005, possui um canhão de alma lisa de 125 milímetros, blindagem composta e miras estabilizadas. O Tipo 99, atualmente em produção, adiciona blindagem reativa e sistemas de computação modernos.


Tipo 96.

O PLA possui cerca de 3.400 Tipos 96 e 99. A IISS previu que o exército chinês poderia retirar de serviço todos os tanques anteriores a 1997 e equipar um número menor de unidades de armas combinadas exclusivamente com os Tipos 96 e 99.

Mas o PLA precisará de doutrina para combinar com os equipamentos mais modernos. Com zero experiência de combate recente, as táticas e o treinamento do PLA em alguns casos são inadequados, informou o Global Times. A organização de notícias administrada pelo governo citou um jogo de guerra do exército como um exemplo.

"Quando o treinamento começou em 2019, uma brigada de armas-combinadas de elite sob o 81º Grupo de Exército do Comando do Teatro Central do Exército de Libertação Popular refletiu como eles não venceram seu oponente em uma batalha simulada de 2018, apesar de estarem equipados com o tanque de guerra principal mais forte da China, o Tipo 99A," relatou o Global Times, citando a rede estatal de notícias de televisão CCTV.

"Embora a simulação de batalha tenha ocorrido em julho de 2018 na base de treinamento de Zhurihe, região autônoma da Mongólia Interior, foi a primeira vez que os detalhes do exercício foram revelados", continuou o Global Times.


Tipos 88A, 96A e 99.

"Corremos com o Tipo 99A muito perto da linha de frente, o que não otimizava o uso da capacidade de combate do tanque", afirmou Xu Chengbiao, um comandante de batalhão da brigada, segundo a CCTV.


Equipar um exército com tanques modernos é uma coisa. Enquanto o PLA está aprendendo a usar efetivamente estes mesmos tanques é outra coisa. "Estudamos apenas as capacidades dos tanques mais antigos, mas ainda não compreendemos completamente os novos", disse Zhao Jianxin, outro comandante de batalhão, ao CCTV.


Tipo 99A.

Original: https://nationalinterest.org/blog/buzz/why-does-china-have-nearly-7000-tanks-115891

David Axe atua como Editor de Defesa do National Interest. Ele é o autor das novelas gráficas War Fix, War Is Boring e Machete Squad. Isso apareceu pela primeira vez em 2019.

Nenhum comentário:

Postar um comentário