quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Instrutores de tiro de combate do Exército Francês treinam com o AK-47 Kalachnikov


Por Laurent Lagneau, Zone Militaire Opex360, 13 de janeiro de 2020.
Tradução Filipe A. Monteiro, 16 de janeiro de 2020.

No momento em que o famoso FAMAS está saindo de cena em favor do novo fuzil de assalto HK-416F no seio dos regimentos do Exército, dez instrutores de tiro de combate [instructeurs de tir de combat, ISTC] foram convidados participar de um treinamento um tanto peculiar no CENTIAL-51e RI de Mourmelon, em dezembro.

De fato, esses instrutores, que em breve estarão em missões de curto ou longo prazo, foram treinados para lidar com o fuzil de assalto AK-47 Kalashnikov, que é a arma mais difundida [e mais copiada] do mundo.

Segundo o Sirpa Terre, que comunicou sobre o assunto em 7 de janeiro, esse treinamento "completo e oficial" foi uma "primeira vez", mesmo que os soldados franceses conheçam bem o AK-47, pois é uma arma de dotação em numerosos exércitos "parceiros" na África. Confiável, robusto e fácil de manter, este fuzil de calibre 7,62×39mm também tem a vantagem de ser pouco oneroso. Os modelos utilizados pelos estagiários do 51º RI provavelmente foram adquiridos na Polônia, da empresa WBP Rogow, que comercializa o WBP FOX-AK47 ao preço unitário de cerca de 900 euros.

Esse treinamento sem precedentes ocorreu em duas fases: manuseio do fuzil [montagem, desmontagem, características etc.] e tiro em diferentes ambientes e circunstâncias.

"Esses novos estágios oficiais fazem parte dos novos programas de treinamento desejados pelas Escolas de Comando e Treinamento de Combate Inter-Armas [Commandement de l'Entraînement et des Ecoles du Combat Interarmes, COME2CIA] e pelo Centro de Parceria Militar Operacional [Centre de Partenariat Militaire Opérationnel, CPMO], a fim de continuar desenvolvendo o endurecimento e a polivalência de nossos soldados”, explica o Exército Francês.

Totalmente operacional desde 2019 e apoiado pela Escola Militar de Especialização do Ultramar, o objetivo principal da CPMO é preparar soldados franceses para trabalhar com exércitos parceiros - como aqueles equipados com AK-47 - para melhor apoiá-los e treiná-los em campanha com seu próprio equipamento. Esta organização conta com dois Centros de Preparação para o Engajamento Operacional [Centres de Préparation à l’Engagement OpérationnelCEPEO]: o 51º RI de Mourmelon e o 17º Grupo de Artilharia de Biscarosse.

O AK47: uma arma a dominar

Do site do Exército Francês.
Atualizado: 07/01/2020.

De 3 a 5 de dezembro de 2019, dez Instrutores de Tiro de Combate (ISTC) foram treinados com uma arma extraordinária, ainda uma das mais amplamente usadas no mundo: o AK47. Eles se conheceram no 51º regimento de infantaria (Centro de Preparação para o Engajamento Operacional) em Mourmelon.


No início de dezembro, o 51º RI organizou um curso especial para familiarizar os instrutores em missões de curto ou longo prazo (MLD - MCD) no exterior com o fuzil AK47. Seu custo muito baixo, sua robustez (raramente quebra e resiste a todos os tipos de ambientes), sua confiabilidade e sua grande facilidade de manutenção, o tornam extremamente popular, principalmente em países com poucos recursos financeiros.

Se o uso desta arma e a instrução que a acompanha não são novidade para nossos soldados (em particular para aqueles que trabalham em benefício das instruções dos exércitos parceiros), esse treinamento completo e oficial foi uma primeira vez e foi articulado em torno de duas fases de aprendizagem:

- o manuseio deste fuzil emblemático (características, montagem/desmontagem…)
- o tiro (em diferentes circunstâncias e ambientes).

O 51º RI tem como objetivo garantir a aptidão das forças francesas e seu conhecimento para serem os mais eficazes em missão. Treinar nossos soldados com armas modernas é essencial, treiná-los com armas antigas, mas ainda presentes em campanha, é igualmente importante. Assim, o regimento planeja multiplicar esses tipos de cursos e alterá-los. Treinamentos sobre o uso de outras armas usadas cotidianamente em campanha (M16...), mas também sobre veículos não pertencentes ao Exército, será agendado para 2020.

Essas novas aprendizagens oficiais fazem parte dos novos programas de treinamento desejados pelo Comando de Treinamento e Escolas de Combate Inter-Armas (COME2CIA) e pelo Centro de Parceria Militar Operacional (CPMO), a fim de desenvolver ainda mais o endurecimento e a polivalência de nossos soldados.

Foco no Centro de Parceria Militar Operacional (CPMO)

Referente ao Exército para as parcerias militares operacionais, o CPMO trabalha com a política do PMO e estabelece os objetivos de preparação (em conexão com o comando das forças terrestres) para destacamentos que partem em missão. Plenamente operacional desde o verão de 2019, ele monitora ações e feedback para beneficiar as unidades na fase de preparação operacional. Apoiado pela Escola Militar de Especialização do Ultramar, o centro se beneficia do vínculo orgânico com as unidades estrangeiras, os principais contribuintes para as ações de cooperação.

O principal objetivo do CPMO é permitir que soldados engajados em campanha possam trabalhar imediatamente com exércitos estrangeiros dispondo de armamentos como o Kalashnikov. Assim, permite o apoio direto e o treinamento de forças em campanha com seu próprio material. Dois CPEOs apóiam o CPMO: o 51º regimento de infantaria (aqui trabalhando neste treinamento com o AK47) em Mourmelon e o 17º grupo de artilharia em Biscarrosse.

Um comentário:

  1. Acho que toda força armada ou policial que se preze no mundo deveria treinar com o AK-47 algumas vezes. É importante conhecer aquilo que um possível inimigo possa usar como também poder usar em uma situação extrema.

    ResponderExcluir