terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

O Exército francês recebeu novos óculos de visão noturna O-NYX


Por Laurent Lagneau, Zone Militaire Opex 360, 30 de janeiro de 2020.
Tradução Filipe do A. Monteiro, 18 de fevereiro de 2020.

Por não terem visibilidade em relação aos principais programas de armamento, o equipamento dito de "coerência operacional" pagou frequentemente o preço pelos cortes orçamentários no passado. Em 2007, o General Bruno Cuche, então chefe do Estado-Maior do Exército [État-major de l’armée de Terre, CEMAT], também se preocupou com uma carta dirigida ao General Jean-Louis Georgelin, que era o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas [État-major des armées] na época.

No entanto, as duas leis de programação militar [Loi de programmation militaireLPM] que seguiram esse aviso [de 2008-13 e 2013-19, nota] negligenciaram esses "pequenos equipamentos", como apontado pelo deputado Thomas Gassilloud, em um relatório publicado em Novembro de 2017. Mas, por um momento, não foi mais possível recuar. Daí o esforço a favor do equipamento individual do combatente previsto pela LPM "na altura do peito" atualmente em vigor.

Assim, após encomendas de 74.596 pistolas semi-automáticas [PSA] Glock 17 GEN5, 2.620 novos fuzis de precisão SCAR, uniforme F3 [85.000 entregues em breve], capacetes de proteção compostos, 37.000 coletes à prova de balas de nova geração [96.800 entregues até 2025], os primeiros óculos de visão noturna "O-NYX" [JVN] acabam de ser recebidos pelo 21º Regimento de Infantaria de Marinha [21e Régiment d’Infanterie de MarineRIMa], que está prestes a partir para o Sahel, como parte da Operação Barkhane. O 2º Regimento de Infantaria Estrangeiro [2e Régiment Étranger d’InfanterieREI] não deve tardar no recebimento dos mesmos [*]. O anúncio foi feito em 30 de janeiro pelo Ministério das Forças Armadas.

[*] Um colaborador do site esclareceu que o 2º REI já havia recebido o JVN O-NYX duas semanas atrás.


Apresentação do uniforme F3 pelo Comissariado do Exército Francês em 1º de fevereiro de 2020.

Projetado pela Thales, esses óculos de visão noturna O-NYX substituirão gradualmente os modelos “Lucie” atualmente fornecidos. A Direção Geral de Armamentos [Direction générale de l’armementDGA] encomendou 3.519 exemplares  para o Exército Francês, 3.179 das quais serão entregues em 2020, o restante a seguir no próximo ano.

"Vários milhares de exemplares adicionais [cerca de 10.000, nota do editor] devem ser entregues até 2025. Esses óculos de visão noturna acabarão equipando as três forças armadas", disse o Ministério das Forças Armadas.


Capacete com o OVN "Lucie" ao lado do livro Task Force 32.

Pesando 340 gramas [contra 420 gramas dos "Lucies"], o JVN O-NYXo tem uma autonomia de até 40 horas com bateria ou 25 horas com pilhas AA de 1,5 volts. Ultracompacto e oferecendo conforto otimizado para "uso prolongado", eles têm um amplo campo de visão de 51° [contra 40° normalmente, + 70% da superfície da cena observada, sublinha o Ministério das Forças Armadas] que "melhora a percepção do ambiente e a mobilidade do soldado].

Os sistemas de visão noturna são agora essenciais, pois os chamados "fatores de superioridade operacional" [Facteurs de supériorité opérationnelleFOE] são alterados pela escuridão [identificando o inimigo a distâncias mais curtas do que em plena luz do dia , progressão mais lenta, fogo direto menos eficaz que pode revelar a posição de uma seção, etc.]. No entanto, como agora eles tendem a se generalizar [os talibãs dispõe dessa capacidade, assim como os jihadistas do Daesh, nota do editor], o desafio é, portanto, ter equipamentos sempre mais eficientes do que os do oponente, ou seja, quem pode ver o mais longe possível.

Original: http://www.opex360.com/2020/01/30/larmee-de-terre-a-recu-les-nouvelles-jumelles-de-vision-nocturne-o-nyx/?fbclid=IwAR2dEGnfzHtSMHXzexR6QTo0SsO7VEA-czdmpatdY86MJn1LwSwYoTC4uf0

Nenhum comentário:

Postar um comentário