sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

O regime do Irã planeja destruir a tumba de Ester e Mordechai?

Membros das forças armadas iranianas marcham durante a cerimônia do desfile do Dia Nacional do Exército em Teerã, Irã, em 22 de setembro de 2019.

Por Benjamin Weinthal, The Jerusalem Post, 20 de fevereiro de 2020.
Tradução Filipe do A. Monteiro, 21 de fevereiro de 2020.

Grupo religioso dos EUA critica o Irã por ameaças à tumba de Esther e Mordechai.

A Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos condenou o regime iraniano na quarta-feira por suas ameaças de arrasar a tumba de Esther e Mordechai, em Hamadã.

"A USCIRF está preocupada com as ameaças relatadas ao túmulo de Esther e Mordechai em Hamadã, no Irã, e enfatiza a responsabilidade do governo iraniano de proteger locais religiosos", twittou a agência americana.

A USCIRF é uma entidade governamental federal bipartidária e independente que monitora, analisa e relata ameaças à liberdade religiosa.

A Aliança pelos Direitos de Todas as Minorias no Irã twittou no domingo que: “De acordo com relatórios, membros do Basij iraniano tentaram invadir o local histórico [tumba de Esther e Mordechai] ontem em um ato de vingança contra o plano de paz palestino-israelense pelo presidente dos EUA, Donald Trump. ”

A ARAM observou que "as autoridades iranianas estão ameaçando destruir o túmulo histórico de Ester e Mordechai em Hamadã e converter o local em um escritório consular para a Palestina".

O Jerusalem Post não pôde confirmar os “relatórios de cobertura” citados pela ARAM. 

A ARAM promove direitos iguais para mulheres e minorias religiosas e étnicas no Irã, bem como para a comunidade LGBT iraniana.

Ester e Mordechai “foram heróis judeus bíblicos que salvaram seu povo de um massacre em uma história conhecida como Purim. Seu local de sepultamento tem sido um marco judaico significativo para judeus e aficionados por história em todo o mundo ”, escreveu a ARAM.

A Agência de Notícias dos Cristãos Iranianos (Mohabat) informou no início de fevereiro que os Basij lançaram ameaças à tumba. "O Conselho para a Exploração da Mobilização de Estudantes das Universidades de Hamadã disse em comunicado aos Estados Unidos, Israel e países árabes da região que eles transformarão a tumba em um consulado palestino se alguma ação for tomada."

Segundo o relatório da Mohabat, a milícia Basji disse que o plano de demolir a tumba foi uma resposta à revelação do plano de paz entre Palestina e Israel. Os Basij chamaram o plano de paz de Trump de "ato cruel de traição", acrescentando "Você não encontrará mais o lugar como uma tumba na terra de Hamadã". O jornal disse que o regime iraniano "com a ajuda de Deus derrotará a conspiração recente e cumprirá a promessa do fim do regime sionista racista e infantil para tornar este lugar um querido consulado palestino... E você verá essa promessa se tornando realidade."

Original: https://www.jpost.com/Middle-East/Does-Irans-regime-plan-to-destroy-the-tomb-of-Esther-and-Mordechai-618155?utm_source=jpost&utm_medium=facebook&utm_campaign=boost&utm_content=02-20-20&fbclid=IwAR3YYZQcrMTCZVshvYN8glZGeDqaAqAVqmL2mG9c6w9vsQL1ZEyVWm5cGi0

Nenhum comentário:

Postar um comentário