quarta-feira, 11 de março de 2020

Não acredite na história da China: o coronavírus pode ter vazado de um laboratório

Soldado chinês com uma máscara em Wuhan, quando o governo chinês bloqueou o local, no dia 22 de janeiro de 2020.

Por Steven W. Mosher, New York Post, 22 de fevereiro de 2020.
Tradução Filipe do A. Monteiro, 11 de março de 2020.

Em uma reunião de emergência em Pequim, realizada na sexta-feira passada, o líder chinês Xi Jinping falou sobre a necessidade de conter o coronavírus e criou um sistema para evitar epidemias semelhantes no futuro. 

Um sistema nacional para controlar os riscos de biossegurança deve ser implementado "para proteger a saúde das pessoas", disse Xi, porque a segurança de laboratórios é uma questão de "segurança nacional".



Xi na verdade não admitiu que o coronavírus que agora devastou grandes áreas da China havia escapado de um dos laboratórios de pesquisa prévia do país. Porém, no dia seguinte, surgiram evidências sugerindo que isso foi exatamente o que aconteceu, quando o Ministério de Ciência e Tecnologia da China divulgou uma nova diretiva intitulada: "Instruções para fortalecer o gerenciamento de biossegurança em laboratórios de microbiologia que lidam com vírus avançados como o novo coronavírus".

Leia isso de novo. Com certeza parece que a China tem um problema em manter patógenos perigosos em tubos de ensaio onde eles pertencem, não é? E quantos "laboratórios de microbiologia" existem na China que lidam com "vírus avançados como o novo coronavírus"?

Acontece que em toda a China há apenas um. E este está localizado na cidade chinesa de Wuhan, que por acaso é ... o epicentro da epidemia. 

Isso mesmo. O único laboratório de microbiologia de nível 4 da China, equipado para lidar com coronavírus mortais, chamado Laboratório Nacional de Biossegurança, faz parte do Instituto Wuhan de Virologia.


Um membro de uma equipe médica verifica a temperatura de um paciente que apresentou sintomas leves do coronavírus. (AFP via Getty Images)

Além disso, o principal especialista em guerra biológica do Exército de Libertação Popular, um major-general Chen Wei, foi enviado a Wuhan no final de janeiro para ajudar no esforço de conter o surto.

De acordo com o PLA Daily, Chen está pesquisando coronavírus desde o surto de SARS de 2003, assim como Ebola e antraz. Também não seria sua primeira viagem ao Instituto Wuhan de Virologia, uma vez que é um dos únicos dois laboratórios de pesquisa de armas biológicas em toda a China.

Isso sugere a você que o novo coronavírus, agora conhecido como SARS-CoV-2, pode ter escapado daquele laboratório e que o trabalho de Chen é tentar colocar o gênio de volta na garrafa, por assim dizer? Sugere pra mim.

Adicione ao histórico de incidentes semelhantes da China. Até o vírus mortal SARS escapou - duas vezes - do laboratório de Pequim onde estava (e provavelmente está) sendo usado em experimentos. Ambas as epidemias "criadas pelo homem" foram rapidamente contidas, mas nenhuma delas teria acontecido se fossem tomadas as devidas precauções de segurança.

E ainda há esse fato pouco conhecido: alguns pesquisadores chineses costumam vender seus animais de laboratório a vendedores ambulantes depois de terminarem de experimentá-los.

Você me ouviu direito.

Em vez de descartar adequadamente os animais infectados por cremação, conforme a lei exige, eles os vendem por debaixo dos panos para ganhar um pouco de dinheiro extra. Ou, em alguns casos, muito dinheiro extra. Um pesquisador de Pequim, agora preso, ganhou um milhão de dólares vendendo seus macacos e ratos no mercado de animais vivos, onde acabaram no estômago de alguém.


Membros de uma equipe de saneamento da polícia pulverizam desinfetante como medida preventiva contra a disseminação do coronavírus. (AFP via Getty Images)

Também alimentando suspeitas sobre as origens do SARS-CoV-2 está a série de desculpas cada vez mais esfarrapadas oferecidas pelas autoridades chinesas quando as pessoas começaram a adoecer e morrer.

Eles primeiro culparam um mercado de frutos do mar não muito longe do Instituto de Virologia, mesmo que os primeiros casos documentados de Covid-19 (a doença causada pelo SARS-CoV-2) envolvam pessoas que nunca pisaram lá. Eles apontaram para cobras, morcegos e até um tamanduá escamoso chamado pangolim como a fonte do vírus.

Eu não engulo nada disso. Acontece que as cobras não carregam coronavírus e que os morcegos não são vendidos no mercado de frutos do mar. Nem os pangolins, espécie ameaçada de extinção, são valorizados tanto por suas escamas quanto por sua carne.

As evidências apontam para a pesquisa de SARS-CoV-2 sendo realizada no Instituto Wuhan de Virologia. O vírus pode ter sido levado para fora do laboratório por um trabalhador infectado ou cruzado para humanos quando eles inconscientemente jantaram um animal de laboratório. Qualquer que seja o vetor, as autoridades de Pequim estão agora claramente lutando para corrigir os sérios problemas com a maneira como seus laboratórios lidam com patógenos mortais.



A China desencadeou uma praga em seu próprio povo. É muito cedo para dizer quantos na China e em outros países acabarão morrendo pelas falhas dos laboratórios estatais de microbiologia de seu país, mas o custo humano será alto.

Mas não se preocupe. Xi nos garantiu que está controlando os riscos de biossegurança "para proteger a saúde das pessoas". Os especialistas em armas biológicas do PLA estão no comando.

Duvido que o povo chinês ache isso muito tranquilizador. E nós também não devemos.

Original: https://nypost.com/2020/02/22/dont-buy-chinas-story-the-coronavirus-may-have-leaked-from-a-lab/?utm_source=twitter_sitebuttons&utm_medium=site%20buttons&utm_campaign=site%20buttons

Steven W. Mosher é o presidente do Instituto de Pesquisa Populacional e autor de "Bully of Asia: Why China's Dream is the New Threat to World Order" (Valentão da Ásia: por que o 'sonho' da China é a nova ameaça à Ordem Mundial).



Leitura recomendada:

O coronavírus pode ser o fim da China como centro global de fabricação10 de março de 2020.

Foto de 'Hospital de Coronavirus' postado por jornal estatal chinês é na verdade uma foto de arquivo do Alibaba, 28 de janeiro de 2020.

FOTO: Riders of Doom, 12 de março de 2020.

2 comentários: