sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

O pior general americano de todos os tempos: “Um general que nunca venceu uma batalha nem nunca perdeu uma corte marcial”

General James Wilkinson.

Por William Mclaughlin, War History Online, 26 de março de 2018.
Tradução Filipe do A. Monteiro, 7 de fevereiro de 2020.

O título de "pior general da história dos EUA" certamente não é algo a se almejar, mas onde houve grandes nomes como Patton e Grant, é preciso que haja falhas absolutas. Infelizmente para a jovem nação dos EUA, James Wilkinson provavelmente detém firmemente o título de pior general.

Wilkinson nasceu no local perfeito para seu futuro registro, Benedict, Maryland. Wilkinson serviu como capitão nas primeiras batalhas da Guerra Revolucionária, como a Batalha por Dorchester Heights. Ele serviu como assessor de Benedict Arnold antes de se transferir como ajudante-de-ordens de Horatio Gates.

Em 1777, Gates enviou Wilkinson ao Congresso para entregar as notícias da vitória em Saratoga. Saratoga foi uma vitória americana criticamente importante, mas Wilkinson tinha vários assuntos pessoais aos quais tratava antes de divulgar a notícia. Quando ele apareceu no Congresso, ele embelezou muito seu papel na vitória crucial, de modo que recebeu grandes honras por seu papel fabricado na batalha. Essas honras incluíam a nomeação para o recém-criado Conselho de Guerra e o status honorário de General-de-Brigada.

Saratoga foi uma grande vitória para os americanos. Wilkinson teve um pequeno papel, principalmente como mensageiro para reunir mais reforços.

Horatio Gates se cansou dos enfeites e mentiras de Wilkinson e o forçou a demitir-se em 1778. Wilkinson logo se re-engajou depois que o Congresso o nomeou numa função como responsável-geral pelas vestimentas do exército, um trabalho que Wilkinson rapidamente se entediou, demitindo-se após alguns anos.

Wilkinson, em seguida, estabeleceu-se no generalato da milícia da Pensilvânia e serviu como um deputado estadual. Ele se mudou para o Kentucky, que ainda estava sob a propriedade da Virgínia. Aqui Wilkinson realmente começou sua série de péssimos serviços aos EUA. Ele começou visitando a Louisiana, de propriedade espanhola, e trabalhou principalmente em segredo com o governador espanhol Miro. Ele conspirou para dar ao Kentucky um monopólio comercial sobre o Missouri em troca de repassar informações à Espanha e promover os interesses espanhóis.

Wilkinson então se meteu em uma pequena incursão durante a Guerra contra os Índios do Noroeste. Esses raides foram bem pequenos em escala, mas o sucesso de Wilkinson aqui o levou a ser promovido a tenente-coronel, com uma nomeação como brigadeiro-general logo em seguida. Wilkinson era conhecido como um falador língua-de-prata, tornando suas extravagantes vanglórias mais convincentes, a menos que alguém conhecesse seus truques, como Horatio Gates.

Anthony Wayne comandando a Batalha de Fallen Timbers. Uma batalha bem-sucedida, o comando de Wayne ainda foi implacavelmente criticado por seu rival Wilkinson.

Wilkinson teve uma longa rivalidade com o general da breve Legião dos Estados Unidos, Anthony Wayne. Wayne descobriu fortes evidências da relação traidora de Wilkinson com os espanhóis. Em resposta, Wilkinson atirou inúmeras acusações e críticas em Wayne. Apesar do sólido histórico de Wayne e do trabalho em favor da corte marcial de Wilkinson, nada poderia ser feito para remover Wilkinson de sua posição. Wayne acabaria morrendo em 1796, ainda envolvido na rivalidade.

Um julgamento confuso, no qual Aaron Burr foi acusado de traição logo seguiu-se. Wilkinson foi envolvido no julgamento e quase condenado por erro de julgamento de traição, essencialmente ajudando ou conscientemente permitindo a traição. Embora não houvesse acusações contra Wilkinson, o capataz do grande júri disse o seguinte sobre Wilkinson: "o único homem que eu jamais vi que era da casca até o âmago um vilão".

As maiores batalhas de Wilkinson ocorreram durante a Guerra de 1812. Em uma campanha canadense, Wilkinson serviu em operações conjuntas em Ontário. A operação envolvendo 8.000 soldados americanos foi adiada logo no início, porque Wilkinson precisou de algumas semanas extras para preparar suas tropas. A subseqüente Batalha de Crysler's Farm foi uma vitória britânica/canadense decisiva, onde menos de 1.000 homens repeliram o ataque mal planejado de 8.000 americanos.

O desastre levaria a outra audiência. Enquanto sua própria corte marcial ainda estava sendo preparada, Wilkinson partiu em uma campanha agressiva para recuperar algum crédito para si. Com 4.000 homens, Wilkinson partiu para tomar uma guarnição britânica de 80 homens que guardava o Rio Lacolle. Depois de serem atrasados pela neve e pela lama, os homens de Wilkinson começaram o ataque.

Um exemplo de um foguete Congreve que Wilkinson e seus homens enfrentaram. (Richard Tennant)

Os britânicos estavam defendendo uma robusta fortaleza com um sólido moinho de pedra. Eles também tinham uma nova artilharia de foguetes. Em vez de lançar um ataque completo com sua força esmagadora, Wilkinson se contentou em trocar tiros. Os foguetes eram terrivelmente imprecisos, mas ainda conseguiram ferir dezenas de americanos. Entrementes, o solo era macio demais para os americanos montarem sua artilharia mais pesada.

O tiroteio continuou por tanto tempo que as guarnições britânicas vizinhas (cerca de 420 homens no total) entraram na luta. Apesar de estarem em menor número, alguns dos reforços escaparam pelas linhas americanas e atacaram a artilharia. Feriram o comandante de artilharia e vários oficiais, causando confusão devastadora nos americanos. Eventualmente, canhoneiras britânicas navegaram rio acima e choveram fogo.

Ainda não se comprometendo a um ataque completo, Wilkinson finalmente ordenou uma retirada. Ele perdeu 41 mortos e 226 feridos ou desaparecidos. Os britânicos perderam 11 mortos e 50 feridos ou desaparecidos. A batalha desastrosa levou a outra investigação militar, além da corte marcial da batalha anterior de Crysler's Farm. Wilkinson escapou das acusações, mas foi dispensado do comando. Mais tarde, ele morreu em 1825 na Cidade do México, atuando como emissário.

As principais ações de Wilkinson certamente variaram de ineptas a completamente traidoras e egoisticamente cruéis, mas ele teve inúmeras ações menores e relações que o tornaram ainda mais desprezível para seus colegas e historiadores posteriores. Theodore Roosevelt escreveu uma vez que "em toda a nossa história, não há personagem mais desprezível" do que Wilkinson. Vários oficiais tiveram grande dificuldade em servir com ele e tentaram se transferir para evitar compartilhar o campo de batalha com Wilkinson. Parece que ele serviu egoisticamente a seus próprios interesses e se livrou de qualquer problema em que se metesse por conta da sua lábia. Um comandante militar que os Estados Unidos desejam que nunca tivessem tido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário