terça-feira, 7 de abril de 2020

GALERIA: Blindados soviéticos na Suécia

MTLB.

Por Efim Sandler, Tanks in Action, 9 de janeiro de 2020.
Tradução Filipe do A. Monteiro, 7 de abril de 2020.

Este post é baseado no ótimo site de Rickard Lindström, com algumas adições.


No final de 1990, a Embaixada da Suécia em Bonn informou o Departamento de Compras de Defesa (Försvarets materielverk, FMV) que a Alemanha adoraria se livrar de dezenas de equipamentos soviéticos herdados da RDA. Do ponto de vista dos blindados, o mais interessante era o T-72, já que a União Soviética ainda era uma ameaça em potencial, e o Exército sueco queria examinar mais de perto o MTLB. O governo sueco não planejava fazer um gasto enorme; portanto, o esquema consistia em comprar menos do que o valor mínimo, mas compartilhar os resultados dos testes com os alemães e a OTAN. Todo o processo levou algum tempo, mas no outono de 1991, cinco T-72M1 e cinco MTLBs foram comprados e testados na Norlândia Superior.



O ponto mais surpreendente foi que todo o conceito de defesa das áreas nórdicas do norte por terreno inultrapassável provou ser falso. A passabilidade do T-72 e do MTLB foi excelente, mesmo em áreas nevadas e pantanosas. Uma característica interessante observada foi a auto-recuperação, que deu ao tanque a capacidade de superar algumas situações nas quais os tanques ocidentais precisariam de assistência. Por outro lado, a proteção blindada do T-72 foi considerada moderada, mesmo a blindagem adicional do modelo M1 não proporcionou uma vantagem muito melhor do que a básica. O desempenho do APFSDS mostrou-se melhor do que o esperado, pois a velocidade inicial parecia ser maior. Muito impressionante foi a proteção QBN. A última foi a ergonomia que recebeu a menor pontuação. O espaço interno era limitado em comparação aos tanques ocidentais com alto nível de ruído e vibração e muito menos visibilidade da estação TC. Ainda no teste geral, o T-72M1 parecia ser melhor do que o considerado anteriormente.



Em 1992, o governo sueco decidiu comprar cerca de 800 MTLBs fabricados na Bulgária a partir de estoques alemães para equipar brigadas de infantaria e as brigadas Norrland*. Deste montante, 550 MTLBs e 60 MTLB-U foram planejados para reforma e, na primavera de 1997, as Forças Armadas Suecas receberam 609 veículos MTLB sob o nome Pansarbandvagn 401 (Pbv 401). Todos os outros MTLBs foram descartados juntamente com 228 obusieiros auto-propulsados 2S1 Gvozdika descomissionados adquiridos para peças de reposição. Durante sua carreira de serviço, o Pbv 401 foi personalizado de acordo com as necessidades das Forças Armadas Suecas (SAF), incluindo o Pbrbbv 452 - variação anti-tanque equipada com o ATGM RBS 56 BILL e o veículo sobre lagartas médico Sjvtppbv 4024 baseado no MTLB-U. Em 2008, as SAF decidiram eliminar gradualmente todo o inventário MTLB.

*Nota do Tradutor: As Brigadas Norrland eram brigadas de infantaria especializadas em guerra subártica.

MT-LBu

Após o acordo do MTLB, ficou óbvio que o número planejado de veículos não atenderia às necessidades do exército. Em 1993, a Administração de Aquisições de Defesa foi encarregada de comprar cinco BMP-1 da antiga Alemanha Oriental para testes. Os ensaios não foram tranqüilos, mas foram considerados satisfatórios. Em 1994, a Alemanha ofereceu à Suécia tanques excedentes Leopard 2A4 para locação por um 'preço ridiculamente baixo' que estava bem abaixo do valor orçado do FB 92, deixando fundos para a 'mecanização' adicional do exército com 433 BMP-1, dos quais cerca de 350 foram planejados para serem colocados em serviço e com os demais - para peças de reposição. Devido à condição altamente variável do hardware, foi decidido estabelecer um padrão - Panzarbandvagn 501. O contrato de modernização foi concedido à empresa tcheca VOP 026 e em 1996 o Exército Sueco começou a receber o Pbv 501. Em 2000, foi tomada a decisão de cortar todos os Pbv 501 do inventário que realmente permaneceu em serviço até 2005. No momento da decisão, apenas 120 veículos reformados haviam sido entregues.



Além disso, os BMPs da Suécia receberam 32 AVLBs BLG-60M2 (baseados no T-55 desenvolvido na Alemanha Oriental). Os veículos entraram em serviço sob o nome Brobv 941. É preciso dizer que a decisão foi principalmente política, pois os testes com o BLG-60 foram considerados fracassos e a FMV recomendou contrariamente. A capacidade máxima de ponte foi de cerca de 85 toneladas, pouco diferente do recém-introduzido Strv 122, com peso acima de 62 toneladas. Em um caso, a ponte desabou durante o exercício. Finalmente, o limite de uso de ponte foi definido para 50 toneladas no máximo. Como compromisso, a Suécia pagou apenas pela modernização e não pelos AVLBs.



O último da lista é o tanque "La Manche", o T-80. Em 1992, as autoridades suecas foram contatadas pelos russos em concurso para novos tanques paras as brigadas mecanizadas e blindadas suecas. O concurso já incluía o Leopard 2 melhorado, Abrams M1A2 e o Leclerc. Até então, o T-80 era literalmente desconhecido para o mundo exterior, pois nunca foi exportado e nunca foi visto em nenhum conflito. Devido à alta aceleração e rapidez, o mito da propaganda soviética declarou que as unidades equipadas com T-80 chegariam ao Canal da Mancha em 48 horas. É claro que isso não tinha nada em comum com a realidade, mas em muitas fontes o T-80 foi chamado de tanque "La Manche". No entanto, a fábrica de tanques de Omsk, através da Oboronexport russa, ofereceu o T-80U. A equipe sueca de licitação visitou Moscou e Omsk e decidiu considerá-lo para o lote de brigada mecanizada, e prosseguiu com a fase de testes na Suécia (Skövde e Boden).



Dois tanques foram entregues e testados entre outubro de 1993 e janeiro de 1994. O resultado dos testes mostrou que o T-80U era superior aos tipos ocidentais em termos de passabilidade, proteção (ERA integrado e Arena APS) e manutenção - sem problemas durante os testes. No lado negativo, o desempenho noturno (IR e TTS) era ruim, o desempenho médio do canhão principal/munição compatível com o Strv 103 atualizado. A característica mais fascinante foi o míssil 9M119 Svir, que operou com sucesso a mais de 4000m. Apesar do desempenho promissor, os ensaios foram interrompidos pelas ordens de Estocolmo. O T-80 não estava destinado ao exército sueco - o concurso foi encerrado com a oferta alemã de fornecer tanques Leopard para ambos os lotes mecanizados e blindados.

O resto é história.



Engenhosidade sueca: A vassoura fixa para limpar as botas antes de entrar no tanque. Os russos ficaram impressionados!


MTLB em partida de paintball.

Nenhum comentário:

Postar um comentário